Relação entre os saberes tradicionais indígenas e a educação escolar na aldeia Açaizal – etnia Munduruku

Authors

  • Carlos Eduardo Colares Joseph
  • Sebastião Diego Cardoso dos Santos
  • Ednéa do Nascimento Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.16n.11-105

Keywords:

escola indígena, povos originários, saber tradicional

Abstract

Pensar a Escola Indígena a partir das concepções de mundo dos povos originários é descrito como um dos princípios da Educação no Referencial Curricular Nacional (BRASIL, 1998). Analisar na prática como se dá a integração entre conhecimento tradicional e educação escolar foi o objetivo dessa pesquisa que teve como espaço amostral a Escola Indígena Dom Pedro II, localizada na Aldeia Açaizal, Território Munduruku no município de Santarém – Pará. A metodologia utilizada foi a observação direta intensiva, caracterizada pela técnica da observação e da entrevista (MARCONI E LAKATOS, 2003, p.190). Foi identificado que na Escola Dom Pedro II há duas disciplinas que lidam diretamente com a tradição indígena, Ensino da Língua Munduruku e Notório Saber. O ensino de uma língua indígena traz o cumprimento da lei que estabelece as escolas indígenas como bilíngues. A disciplina Notório Saber lida com a cosmologia Munduruku por meio do repasse oral de costumes. As aulas dessa disciplina não ocorrem em sala de aula, mas em diversos ambientes da aldeia. Com o notório saber são trabalhadas técnicas que demarcam a diferença cultural entre indígenas e não indígenas, como pintura corporal, rituais de proteção e agradecimento e artesanato Munduruku. Os estudantes também aprendem a utilizar elementos da mata úteis para manipulação de remédios e confecção de utensílios. O modelo exposto na escola pesquisada quebra o paradigma de que não é possível um modelo curricular que haja interação entre a educação escolar com a educação indígena. Tal forma de se trabalhar resulta em alunos preparados para o contexto de mundo ocidental, porém com raízes tradicionais fortalecidas e mais identificados com a sua cultura identitária.

References

BERGAMASCHI, Maria Aparecida. Educação escolar indígena: um modo próprio de recriar a escola nas aldeias Guarani. Cad. CEDES, v.27, n.72, p. 197-213. ISSN 0101-3262, 2007. Disponível em <http://dx.doi.org/10.1590/S0101- 32622007000200006>. Acesso em 13/11/2013.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para as Escolas Indígenas. Brasília: MEC, 2012.

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas. Brasília: MEC, 1998.

FREIRE, José Ribamar Bessa. Trajetória de muitas perdas e poucos ganhos. In CARVALHO, Fernanda Lopes. Educação Escolar Indígena em Terra Brasilis: Tempo de novo descobrimento. Rio de Janeiro: IBASE. p. 11-32, 2004.

HENRIQUES, Ricardo et al. (Org.). Educação Escolar Indígena: diversidade sociocultural indígena ressignificando a escola. In: CADERNOS SECAD 3. Brasília: SECAD/ MEC, 2007.

LEOPOLDI, José Sávio. A guerra implacável dos Munduruku: elementos culturais, sociais e ambientais alicerçados na caça aos inimigos. In: XXIII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 2005, Londrina. Anais eletrônicos… ANPUH, 2005.

Disponível em: <http://www.ifch.unicamp.br/ihb/simposio.htm >. Acesso em 05/02/2014.

LIDERANÇAS MUNDURUKU. [carta] 08 de ju. 2013, Brasília, [para] Governo Brasileiro, Brasília. Solicita que saiam as Forças Armadas das terras Munduruku e que parem as construções de hidrelétricas. Disponível em: <http://www.cimi.org.br/site/pt- br/?system=news&action=read&id=6962>. Acesso em 10/05/2014

MAHER, Terezinha Machado. A Formação de Professores Indígenas: uma discussão introdutória. In: GRUPIONI, Luis Donisete Benzi (Org.) Formação de Professores Indígenas: repensando trajetórias. Brasília: MEC/UNESCO, 2006.

MEDEIROS, Juliana Schneider. Educação Indígena Específica e Diferenciada: O Estudo da Língua Kaingang e do Artesanato na Escola. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO NA REGIÃO SUL, 2012, Rio Grande do Sul. Anais

eletrônicos… Rio Grande do Sul: IX ANPED SUL, 2012. Disponível em: < http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/view/2218/403

>. Acesso em 27/02/2014.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas. 5ª Edição, 2003.

RAZERA, Julio César Castilho; BOCCARDO, Lilian; PEREIRA, Jussara Paula Resende. Percepções sobre a fauna em estudantes indígenas de uma tribo tupinambá no Brasil: um caso de etnozoologia. Revista Eletrônica Enseñanza de las Ciencias, Bahia, v.5, n. 3, p. 466-480, 2006. Disponível em:

<http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen5/ART5_Vol5_N3.pdf >. Acesso em 04/02/2014.

SOUSA, Walter Lopes de; SOUSA, Kasandra Conceição Castro de. A Escola Indígena Munduruku: O Ensino Do Idioma Nativo Como Estratégia De Coesão Social. Exitus: Revista da Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, v.2, n. 01, p. 167-182, Jan./Jun, 2012.

Published

2023-11-14

How to Cite

Joseph, C. E. C., dos Santos, S. D. C., & Carvalho, E. do N. (2023). Relação entre os saberes tradicionais indígenas e a educação escolar na aldeia Açaizal – etnia Munduruku. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 16(11), 26523–26532. https://doi.org/10.55905/revconv.16n.11-105

Issue

Section

Articles