As contribuições do letramento matemático e da Sequência Fedathi: o curso de extensão como uma proposta de formação continuada

Authors

  • Glessiane Coeli Freitas Batista Prata
  • Antônio Marcelo Araújo Bezerra
  • Maria José Costa dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.16n.11-125

Keywords:

letramento matemático, formação continuada de professores, sequência Fedathi

Abstract

O contexto deste artigo despontou a partir da realização de um curso de extensão “A formação do professor que ensina Matemática a partir da construção do pensamento algébrico e do letramento matemático em turmas dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental" promovido pelo Grupo de Estudo e Pesquisa Tecendo Redes Cognitivas de Aprendizagem (G-TERCOA/CNPq/FACED/UFC). Nesse contexto, percebe-se que há uma problemática a qual corrobora de modo significativo para a necessidade da formação de professores que ensinam matemática à luz da BNCC: os professores desconhecem o conceito sobre letramento matemático e metodologias que facilitem ensinar a matemática nessa perspectiva. Objetivou-se apresentar as contribuições do Letramento Matemático e a metodologia de ensino Sequência Fedathi para a formação continuada de professores que ensinam matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Quanto à metodologia, é de abordagem qualitativa, de natureza exploratória, do tipo estudo de caso. Fundamenta-se em autores que dialogam sobre letramento matemático, formação continuada de professores e Sequência Fedathi. Consideramos que esses resultados demonstram a complementaridade entre o letramento matemático e a SF, quando em seus resultados mostram o rompimento de um paradigma vigente, no caso o ensino tradicional. Ambos têm em comum a proposta de ensino pautada num processo dialógico entre professor e aluno, onde esse aluno é estimulado à pesquisa, à reflexão e à elaboração de um conhecimento crítico, levando em consideração o seu contexto histórico-cultural.

References

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF: Casa Civil, 1996.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: < 568 http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf>. Acesso em: 02 jun. 2017.

CUNHA, M. I. da. Formação continuada. In Enciclopédia de Pedagogia Universitária. Marília Costa Morosini [ET AL]. Porto Alegre: FAPERGS/RIES, p.368, 2003.

LIMA, Ivoneide Pinheiro de.; SANTOS, Maria Jose Costa; BORGES NETO, Hermínio O matemático, o licenciado em Matemática e o pedagogo: três concepções diferentes na abordagem matemática. Revista de Matemática, Ensino e Cultura. Ano 5, n.6 (jan. 2010). Natal: UFRN.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo : Paz e Terra, 1997.

GATTI, Bernadete Angelina. Grupo focal na pesquisa em Ciências Sociais e Humanas. Brasília: Líber Livro, 2005.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES, L. P. da S. Caracterização do letramento matemático: a análise de uma experiência na turma do 3º ano do ensino fundamental. Dissertação de Mestrado. PPGED/UFRN. Natal, 2015.

KLEIMAN, Ângela B. (Org.) Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado das Letras. 1995.

KLEIMAN, Ângela B. Preciso ensinar o letramento? Não basta ensinar a ler e escrever? Campinas: Cefiel - Unicamp; MEC, 2005.

NÓVOA, Antônio. Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

NÓVOA, Antônio (org.). Vidas de Professores. 2 ed. Lisboa: Porto Editora, 1995a.

NÓVOA, Antônio (org.). Profissão Professor. Lisboa: Porto Editora, 1995b.

SANTANA, A. C. S. (2018). Mão no bolso: postura, metodológia ou pedagogia? In H. Borges Neto (Org.), Sequência Fedathi: fundamentos (Vol. 3, p. 15-21). Curitiba, PR: CRV.

SANTOS, M. J. C. dos. A formação do professor de matemática: metodologia sequência Fedathi (sf). Revista Lusófona De Educação, v.38, n.38, 2018.p.81-96

SANTOS, M. J. C. dos. O letramento matemático nos anos iniciais do ensino fundamental. REMATEC, v. 15, p. 96-116, 14 maio de 2020.

SOARES, M. Alfabetização e Letramento. São Paulo: Contexto, 2008.

SOUZA, Maria José Araújo. Sequência FEDATHI: apresentação e caracterização. In: SOUZA, Francisco Edison Eugênio et al. Sequência FEDATHI: uma proposta pedagógica para o ensino de ciências e matemática. Fortaleza. Fortaleza: Edições UFC, 2013. P. 15-47.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude; LAHAYE, Louise. Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria & educação, Porto Alegre, V. 1, n. 4, p. 215-233, 1991.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.13, p. 5-24, 2000.

Published

2023-11-17

How to Cite

Prata, G. C. F. B., Bezerra, A. M. A., & dos Santos, M. J. C. (2023). As contribuições do letramento matemático e da Sequência Fedathi: o curso de extensão como uma proposta de formação continuada. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 16(11), 26857–26876. https://doi.org/10.55905/revconv.16n.11-125

Issue

Section

Articles