Development of a model for integrate risk management into the quality management system in a public laboratory

Authors

  • Tatiana Forti
  • Monicque Evelyn Marciano de Carvalho
  • Ana Lucia Sampaio de Araujo
  • Marise Tenório Wanderley Hubner
  • Vera Maria Marques Machado
  • Elezer Monte Blanco Lemes
  • Marcus Vinícius Teixeira Navarro
  • Katia Christina Leandro

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.2-033

Keywords:

risk management, quality management, health surveillance, ISO/IEC 17025, ISO 31000

Abstract

The integration of risk management into quality management, a major challenge for public laboratories, will bring even more reliability to the results issued, enhancing opportunities and minimizing risks to public health. The proposed systematics was applied as a case study to the trial to determine the potency of the hepatitis B vaccine, carried out at INCQS, which has ABNT NBR ISO/IEC 17025 as the basis of its quality management system and follows follows the Management guidelines of the Federal Accounting Court (TCU) and Office of the Federal Controller General (CGU), the Fiocruz Risk Management Guide and ABNT NBR ISO 31000. The main result was the elaboration of a work process with a description of steps and techniques, which allow risk management to be integrated with quality management, adding benefits to ensure the reliability of analytical results bringing benefits to the citizens.

References

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (Brasil). Resolução RDC nº 73, de 21 de outubro de 2008. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para procedimento de liberação de lotes de vacinas e soros hiperimunes heterólogos para consumo no Brasil e também para exportação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 22 out. 2008. Disponível em: https://www.legisweb.com.br/ legislacao/?id=109188. Acesso em: 14 jun. 2021.

ALVES, G. de. F. et al. Enterprise risk management agile canvas: a framework for risk management on public administration. Revista do Serviço Público, Brasília, DF, v. 71, n. 3, p. 438-459, dez. 2020. Edição especial.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO/IEC 17025: requisitos gerais para a competência de laboratórios de ensaio e calibração. Rio de Janeiro: ABNT, 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 31000: gestão de riscos: princípios e diretrizes. Rio de Janeiro: ABNT, 2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO/IEC 31010: gestão de riscos: técnicas para o processo de avaliação de riscos. Rio de Janeiro: ABNT, 2021.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 9001: sistemas de gestão da qualidade: requisitos. Rio de Janeiro: ABNT, 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT ISO 31073: gestão de riscos: vocabulário. Rio de Janeiro: ABNT, 2022.

BRASIL. Lei n° 9.782, de 26 de janeiro de 1999. Define o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 26 jan. 1999. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9782 compilado.htm. Acesso em: 12 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União. Metodologia de gestão de riscos. Brasília, DF, 2018. Disponível em: https://www.gov.br/cgu/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/institucionais/ arquivos/cgu-metodologia-gestao-riscos-2018.pdf. Acesso em: 30 ago. 2019.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Gestão de riscos: avaliação da maturidade. Brasília, DF: TCU, Secretaria de Métodos e Suporte ao Controle Externo, 2018. Disponível em: https://portal.tcu.gov.br/data/files/0F/A3/1D/ 0E/64A1F6107AD96FE6F18818A8/Gestao_riscos_avaliacao_maturidade.pdf.Acesso em: 20 jan. 2019.

CAMPOS, C. A. de O.; MEDEIROS, D. D. de. Um modelo de integração de sistemas de gestão. Produção, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 70-86, jan./abr. 2009.

COSTA, M. T. P.; MOREIRA, E. A. Gestão e mapeamento de processos nas instituições públicas: um estudo de caso em uma universidade federal. Revista GUAL, Florianópolis, v. 11, n. 1, p. 162-183, jan. 2018.

COTA, K. A.; FREITAS, M. A. M. Gestão da qualidade, um desafio permanente: um estudo de caso sobre o processo de manutenção de um sistema de qualidade em uma indústria metalúrgica. Produto & Produção, Porto Alegre, v. 14, n. 2, p. 59-71, jun. 2013.

D’ANDREA, R. A importância do gerenciamento de riscos e da qualidade para as organizações contemporâneas: uma entrevista com o Dr. Adriano Siqueira Pylro. Revista Foco, Curitiba, v. 11, n. 1, p. 205-209, fev. 2018. Disponível em: http://revistafocoadm.org/index.php/foco/article/viez/569. Acesso em: 15 jan. 2024.

FEIJOO, A. M. L. C. de. Medidas de tendência central. In: FEIJOO, A. M. L. C. de. A pesquisa e a estatística na psicologia e na educação. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010. cap. 4, p. 14-22. ISBN 978-85-7982-048-9.

FORTI, T. Construção de um diagnóstico do setor de fungos de referência do INCQS baseado nas normas de qualidade aplicáveis. 2010. 82 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Controle da Qualidade de Produtos, Ambientes e Serviços Vinculados à Vigilância Sanitária) − Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde, Rio de Janeiro, 2010.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Guia de gestão de riscos da Fiocruz. 2019. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/sites/portal.fiocruz.br/files/documentos/ guia_de_gestao_de_riscos_da_fiocruz.pdf. Acesso em: 30 jan. 2019.

GENK, C. van. et al. What are important ingredients for intensive home support for people with severe mental illness according to experts? A concept mapping approach. BMC Psychiatry, London, v. 23, n. 1, 475, Jun. 2023.

HEINZ, G. et al. Riscos orçamentários na administração universitária: um estudo de caso no setor público. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas; Sorocaba, v. 24, n. 3, p. 699-721, nov. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE CONTROLE DE QUALIDADE EM SAÚDE (Brasil). POP 65.3430.033: avaliação da potência da vacina adsorvida hepatite B (recombinante). Rev.12. Rio de Janeiro: INCQS, 2023. 44 p. (Manual da Qualidade. Seção 4.3).

JANNUZZI, P. de M. Indicadores para diagnóstico, monitoramento e avaliação de programas sociais no Brasil. Revista do Serviço Público, Brasília, DF, v. 56, n. 2, p. 137-160, abr./jun. 2005.

MENEZES, K. D. S. V. et al. A matriz SWOT como instrumento de gestão estratégica de uma instituição pública de ensino superior. Revista S&G, Niterói, v. 17, n. 2, p. 196-211, ago. 2022.

MOITA, G. F.; RAPOSO, V. M. dos R. R.; BARBOSA, A. C. Q. A construção de um modelo de avaliação por profissionais e gestores de saúde: validação e consolidação de dimensões e indicadores de performance em serviços e unidades de saúde do SUS. Revista do Serviço Público, Brasília, DF, v. 71, n. 3, p. 540-581, jul./set. 2020.

NAVARRO, M. V. T.; FREITAS, V. L. S. M.; FERREIRA, M. J. Avaliação de riscos e benefício potenciais no pós-mercado. In: DUBUGRAS, M. T. B. et al. (org.). Aplicação da análise de risco na gestão pública da saúde. São Paulo: Instituto de Saúde, 2021. cap. 13, p. 285-309. ISBN 978-65-997616-1-4.

NUNES, N. T. S. et al. A produção científica brasileira sobre gestão de riscos no setor público: uma análise bibliométrica. Revista do Serviço Público, Brasília, DF, v. 71, n. 4, p. 887-920, out./dez. 2020.

RASSHYVALOV, D.; RUSHKOVSKYI, M. Use of the key risk indicators method in risk management strategies. Actual Problems of International Relations, Kiev, v. 1, n. 153, p. 69-80, 2022.

RIBEIRO, R. L. A. de. O.; MACÊDO, D. F. de; SANTOS, D. da G. Aplicação de ferramentas da qualidade para a implantação de um sistema de gestão da qualidade: estudo de caso no IFAL. Diversitas Journal, Santana do Ipanema, v. 6, n. 2, p. 2479-2490, abr./jun. 2021.

SILVÉRIO, J.; PESTANA, G. Monitorização integrada do risco no sistema de gestão da qualidade. Revista Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação, Porto, n. E41, p. 57-69, fev. 2021.

SOTO DURÁN, D. E. et al. Monitoreo de indicadores de valor a través de minería de datos, gestíon de processos de negocio y mejoramiento continuo con gestión del riesgo. Revista Ingenierías Universidad de Medellín, Medellín, v. 19, n. 37, p. 93-118, jul./dic. 2020.

SOUZA, J. A. de; SOUZA, J. T. de. A ferramenta Bow tie no gerenciamento de riscos em projetos. E-Tech: Tecnologias para Competitividade Industrial, Florianópolis, v. 14, n. 1, p. 121-138, 2021.

VEIGA, T. M.; COUTINHO, S. da S.; TAKAYANAGUI, A. M. M. Aplicação da técnica Delphi na construção de indicadores de sustentabilidade. Fórum Ambiental da Alta Paulista, Tupã, v. 9, n. 4, p. 31-45, 2013.

VIEIRA, J. B.; ARAUJO, A. B. de. Risk management in the Brazilian Federal Government: a ministerial analysis. Revista do Serviço Público, Brasília, DF, v. 71, n. 3, p. 404-437, dez. 2020.

Downloads

Published

2024-02-08

How to Cite

Forti, T., de Carvalho, M. E. M., de Araujo, A. L. S., Hubner, M. T. W., Machado, V. M. M., Lemes, E. M. B., Navarro, M. V. T., & Leandro, K. C. (2024). Development of a model for integrate risk management into the quality management system in a public laboratory. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(2), e4304. https://doi.org/10.55905/revconv.17n.2-033