Nursing and women's mental health in coping with postpartum depression

Authors

  • Oraciana Michely Andrade Brasil
  • Leandro Saldanha Nunes Mouzinho

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.2-057

Keywords:

postpartum depression, nursing care, humanized assistance

Abstract

Depression is the third leading cause of morbidity in the world, and could reach first place by 2030. Women have twice the risk of developing depression than men. Postpartum depression (PPD) is considered a public health problem, due to the influence of mother and baby, hindering healthy interaction between mother and newborn. The general objective of this literature review was to analyze the role of nursing professionals in coping with PPD. The methodology used was an integrative bibliographic review, carried out in the LILACS, BVS, SCIELO and PUBMED databases of works published in the last nine years. The descriptors that guided the research were: postpartum depression; nursing care; humanized assistance; as well as its English developers. 12 articles were found using the described method The articles showed that the main complications for mother and baby are: difficulty in self-control, in the child's interaction with society due to the form of the dyad relationship, which may develop nutritional problems, in the quality of the baby's sleep, in brain activity, in self-esteem, motor skills, language, as well as breastfeeding and has a greater chance of developing depression and anxiety in adult life. It is concluded that it is essential that nurses are able to identify the signs and symptoms of PPD early and thus provide quality care to women who have recently given birth, which always changes the quality of life of the mother and baby.

References

ABUCHAIM, E. S. et al. Depressão pós-parto e autoeficácia materna para amamentar: prevalência e associação. Acta Paulista de Enfermagem, v. 29, n. 6, p. 664-670, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-0194201600093. Acesso em: 22 Dez. 2023.

ALMEIDA, N. M. C; ARRAIS, A. R. O. Pré-natal psicológico como programa de prevenção à depressão pós-parto. Psicologia. v. 36, n. 4, p. 847-63, 2016. Disponível em: http:// dx.doi.org/10.1590/1982-3703001382014. Acesso em: 29 Dez. 2023.

ALVES, N. C. DE C. et al. Complications in pregnancy in women aged 35 or older. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 38, n. 04, p. 1-8, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rgenf/a/sv9h8bdt75zgqKhgXwfSBmB/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 30 Dez. 2023.

ARRAIS, A. DA R; ARAUJO, T. C. C. F; SCHIAVO, R. A. Fatores de risco e proteção associados à depressão pós-parto no pré-natal psicológico. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 38, n. 4, p. 711-729, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pcp/a/nzLTSHjFFvb7BWQB4YmtSmm/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 28 Dez. 2023.

ARRAIS, A. R; MOURÃO, M. A; FRAGALLE, B. O pré-natal psicológico como programa de prevenção à depressão pós-parto. Sáude e Sociedade, v. 23, n. 1, p. 251-564, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sausoc/a/ScBXWZFtCyVFXXfzs8jQRmp/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 28 Dez. 2023.

AVANZI, A. S. et al. Importância do apoio familiar no período gravídico-gestacional sob a perspectiva de gestantes inseridas no PHPN. Revista Saúde Col., v. 9, n. 55, p. 55-62, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.3739. Acesso em: 15 Dez. 2023.

BRITO, C. N. O. et al. Depressão pós-parto entre mulheres com gravidez não pretendida. Revista Saúde Pública, v. 49, n. 33, p. 1-9, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rsp/a/469KzHxhMywcJBkd8tyMXyz/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 15 Dez. 2023.

BRUM, E. H. M. de. Depressão pós-parto: discutindo o critério temporal do diagnóstico. Cadernos de Pós-graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 92-100, 28 nov. 2017. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/cpdd/v17n2/v17n2a09.pdf. Acesso em: 27 Dez. 2023.

CAMPOS, B. C; RODRIGUES, O. M. P. R. Depressão Pós-Parto Materna: Crenças, Práticas de Cuidado e Estimulação de Bebês no Primeiro Ano de Vida. Psico, Porto Alegre, v. 46, n. 4, p. 483-492, 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-53712015000400009#:~:text=Os%20resultados%20obtidos%20com%20132,e%20estimular%20menos%20seus%20beb%C3%AAs. Acesso em: 29 Dez. 2023.

CARDOSO, A. C. A; VIVIAN, A. G. Maternidade e suas vicissitudes: A importância do apoio social no desenvolvimento da díade mãe-bebê. Diaphora, v. 6, n. 1, p. 43-51, 2018. Disponível em: http://www.sprgs.org.br/diaphora/ojs/index.php/diaphora/article/view/134. Acesso em: 29 Dez. 2023.

CARLESSO, J. P. P; SOUZA, A. P. R. DE. MORAES, A. B. de. Análise da relação entre depressão materna e indicadores clínicos de risco para o desenvolvimento infantil. Revista CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 500-510, abr. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v16n2/1982-0216-rcefac-16-2-0500.pdf. Acesso em: 23 Dez. 2023.

COSTA, J. F. Depressão pós-parto: a atuação do enfermeiro na identificação precoce da doença [dissertação]. Itabuna: União Metropolitana de Educação e Cultura; 2017. Disponível em: https://repositorio.pgsskroton.com/bitstream/123456789/21058/1/ JANINE_FERREIRA_COSTA_ATIVIDADE%2b4.pdf. Acesso em: 22 Dez. 2023.

GREINERT, B. R. M. et al. A relação mãe-bebê no contexto da depressão pós-parto: estudo qualitativo. Saúde e Pesquisa, Maringá, v. 1, n. 11, p. 81-88, abr. 2018. Disponível em: http://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/5919/3168. Acesso em: 23 Dez. 2023.

HARTMANN, J. M; MENDOZA-SASSI, R. A; CESAR, J. A. Depressão entre puérperas: prevalência e fatores associados. Cadernos de Saúde Pública, v. 33, n. 9, p. 1-10, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/VqTcfSwmyjxB8CRCDcRjJYf/abstract/?lang=pt. Acesso em: 22 Dez. 2023.

LIMA, N. C. et al. Depressão Pós-Parto baseada na Escala de Edimburgo. Revista Conexão UEPG, v. 12, n. 2, p. 268-277, 2016. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/5141/514154368024/html/. Acesso em: 22 Dez. 2023.

OLIVEIRA, M. J. M; DUNNINGHAM, W. A. Prevalência e fatores de risco relacionados a depressão pós-parto em Salvador. Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria, v. 19, n. 2, p. 72-83, 2015. Disponível em: https://www.revneuropsiq.com.br/rbnp/article/view/158/69. Acesso em: 22 Dez. 2023.

RAMOS, A. S. M. B. et al. Fatores associados à depressão pós-parto: revisão integrativa. Enciclopédia Biosfera, v. 15, n. 27, p. 4-13, 2018. Disponível em: https://www.conhecer.org.br/enciclop/2018a/sau/fatores%20associados.pdf. Acesso em: 22 Dez. 2023.

RODRIGUES, W. L. C. et al. Consequências da depressão pós-parto no desenvolvimento infantil: revisão integrativa. Revista Nursing, v. 22, n. 250, p. 2728-2733, 2019. Disponível em: https://revistas.mpmcomunicacao.com.br/index.php/revistanursing/article/view/271. Acesso em: 22 Dez. 2023.

SANTANA, K. R. et al. Influência do aleitamento materno na depressão pós-parto: revisão sistematizada. Revista de Atenção à Saúde, v. 18, n. 64, 2020. Disponível em: https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_ciencias_saude/article/view/6380. Acesso em: 22 Dez. 2023.

SANTOS, E. L, et al. Assistência humanizada: percepção do enfermeiro intensivista. Revista Baiana Enfermagem, v. 32, p. 23680, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/23680. Acesso em: 22 Dez. 2023.

ZACONETA, A. M. et al. Depression with postpartum onset: a prospective cohort study in women undergoing elective cesarean section in Brasilia, Brazil. Rev. Bras. Gin. Obst., v. 35, p, 130-135, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbgo/a/BRRNhD6V38q7QP9VKKBMQ5q/?lang=en. Acesso em: 22 Dez. 2023.

Published

2024-02-09

How to Cite

Brasil, O. M. A., & Mouzinho, L. S. N. (2024). Nursing and women’s mental health in coping with postpartum depression. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(2), e4362. https://doi.org/10.55905/revconv.17n.2-057