Clinical aspects, prevention and diagnosis of yellow fever in Brazil

Authors

  • Simone Rodrigues da Silva Araújo
  • Eliana Teles de Gois
  • Jardel Robert henning Rodrigues de Magalhães
  • Klíscia Rosa de Sousa
  • Marilene dos Santos Pereira
  • Juliana Cordeiro Nunes
  • Gleiriane Espindola de Carvalho Lopes
  • Flavia de Sousa Campos

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.2-042

Keywords:

disease prevention, vaccine, yellow fever

Abstract

Yellow fever is an acute febrile illness caused by an arbovirus of the Flavivirus genus, transmitted to humans and non-human primates through the bite of infected mosquitoes.  It is a disease with a high impact on morbidity and lethality, which has caused a great deal of concern these days, making it a major public health problem. The aim of this narrative review was to analyze and revise the main articles available on the clinical aspects, prevention and diagnosis of yellow fever in Brazil. The vaccine is the most effective way of preventing and controlling yellow fever. It is therefore necessary to use this technology to ensure comprehensive care, which must be resolutive and continuous, as well as to intervene in situations capable of influencing the health-disease processes of a given population.

References

Barbieri, C. L A. et al. Imunização e cobertura vacinal: passado, presente e futuro. Editora Universitária Leopoldianum, 2020.

Bassanezi, M. S. B.; Cunha, M. F. Um espaço, dois momentos epidêmicos: surtos de febre amarela (1896-1897) e de gripe (1918-1919) em Campinas, estado de São Paulo. Revista Brasileira de Estudo de População, 36 (1), 1-29, 2019.

Brasil. Ministério da saúde. Febre amarela. Guia para profissionais de saúde. Brasília DF. 2017a. Disponível em: file:///E:/febre%20amarela/febre_amarela_guia_profissionais_saude.pdf. Acesso em: 16 jan. 2024.

Brasil. Ministério da saúde. Manual de rede de frio do Programa Nacional de Imunizações. 2017b. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/vacinacao/rede-de-frio/publicacoes/manual-de-rede-de-frio-do-programa-nacional-de-imunizacoes-5-ed/view. Acesso em: 15 jan. 2024.

Brasil. Ministério da saúde. Plano estratégico de vacinação contra febre amarela. Brasília DF. 2018a. Disponível em: file:///E:/febre%20amarela/42b172f7b18f2ddb1424cb17e1e6cb24f6fa03023d459d48116f95db7edf21ef.pdf. Acesso em: 15 jan. 2024.

Brasil. Ministério da Saúde. Campanha de vacinação contra febre amarela. Atualização dos casos de febre amarela. 2018b. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/janeiro/16/Atualizacao-Febre-Amarela.pdf. Acesso em: 15 jan. 2024.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de manejo clínico da febre amarela. Brasília-DF. 2020. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_manejo_clinico_febre_amarela.pdf. Acesso em: 14 jan. 2024.

Brasil. Ministério da Saúde. Boletim epidemiológico. Secretaria Municipal de Saúde de Vila Velha. 2021a. Disponível em: https://www.vilavelha.es.gov.br/midia/paginas/BE%202%20Semestre%202021.pdf. Acesso em: 14 jan. 2024.

Brasil. Ministério da Saúde. Plano de contingência para respostas às emergências em saúde pública, febre amarela. 2021b. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/svsa/febre-amarela/plano_contingencia_emergencias_febre_amarela_2_ed-1.pdf. Acesso em: 14 jan. 2024.

Brasil. Ministério da Saúde. Componente vigilância em saúde. 2023. Disponível em: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/vigilancia_em_saude/COMPONENTE%20_%20VIGILANCIA%20EM%20SAUDE%20 %20Copia.pdf. Acesso em: 14 jan. 2024.

Brasil. Ministério da Saúde. Calendário nacional de vacinação da criança. 2024. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/vacinacao/calendario. Acesso em: 14 jan. 2024.

Gava, C. et al. Prevenção e controle da febre amarela: avaliação de ações de vigilância em área indene no Brasil. Revista Caderno de Saúde Pública, 38 (1), 1-18, 2022.

Ilacqua, R. C. et al. Reemergence of Yellow Fever in Brazil: The Role of Distinct Landscape Fragmentation Thresholds. Journal of Environmental and Public Health, 2021 (1), p. 1-7, 2021.

Lacerda, A. B. et al. Diffusion of sylvatic yellow fever in the state of São Paulo, Brazil. Scientific Reports, 11 (1), 2021.

Lucena, A. R. F. P. et al. Fatores associados à gravidade dos eventos adversos pós-vacinação contra a febre amarela durante o maior surto da doença registrado no Brasil, 2016-2017. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, 29 (1), 1-10, 2020.

Martins, M. M. et al. Arboviroses na infância. Revista Jornal de Pediatria, 96 (1), 2-11, 2020.

Mezaroba, E. et al. Integralidade do cuidado: um relato de experiência. J. Manag Prim Health Care, 13 (e023), 1-14, 2021.

Nogueira, D. L. et al. Educação em saúde e na saúde: conceitos, pressupostos e abordagens teóricas. Revista SANARE, 21 (2), 101-109, 2022.

Oliveira, I. C. M. et al. Febre Amarela no Brasil: uma Revisão sobre a Doença e a Vacina. Revista ACTA, 6 (4), 235-250, 2019.

Pinto, C. H. M. et al. Febre amarela: principais aspectos. Revista Educação Sem Distância, 6 (1), 1-11, 2022.

Rücker, F. C. Epidemias de febre amarela no Rio de Janeiro e na Buenos Aires do século XIX. Revista Historiæ, 12 (2), 105-129, 2021.

Silva, A. S. et al. Arboviroses com ênfase nas transmitidas por mosquitos. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 233-260, 2023.

Soares, T. F. Meio Ambiente e Saúde Única: o que podemos esperar? Revista Brasileira de Meio Ambiente, 8 (4), 74-80, 2020.

Tartaglia, T. T. S.; Pacca, C. C. Febre amarela no Brasil: da história ao risco de reemergência. Revista de Medicina, 98 (5), 334-340, 2019.

World Health Organization. Bulletin of the World Health Organization, 2018.

Published

2024-02-08

How to Cite

Araújo, S. R. da S., de Gois, E. T., de Magalhães, J. R. henning R., de Sousa, K. R., Pereira, M. dos S., Nunes, J. C., Lopes, G. E. de C., & Campos, F. de S. (2024). Clinical aspects, prevention and diagnosis of yellow fever in Brazil. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(2), e5016. https://doi.org/10.55905/revconv.17n.2-042