Conhecimentos necessários para o autocuidado de pacientes em uso de anticoagulantes orais: revisão integrativa da literatura

Authors

  • Karyne Kirley Negromonte Gonçalves
  • Vânia Pinheiro Ramos
  • Belarmino Santos de Sousa Júnior
  • Camila Abrantes Cordeiro Morais
  • Sarah Gabrielle Ramos de Lima

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-042

Keywords:

cuidados de enfermagem, autocuidado, conhecimento, anticoagulantes

Abstract

A terapia com anticoagulantes orais em doenças cardiovasculares requer monitoramento rigoroso e educação em autocuidado para prevenir complicações. Assim, o objetivo da pesquisa é elucidar através da revisão integrativa da literatura, os conhecimentos necessários para o autocuidado de pacientes em uso de anticoagulantes orais. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura realizada nas bases de dados BVS BIREME, WEB OF SCIENCE, PUBMED e SCOPUS com temas relacionados aos conhecimentos necessários para o autocuidado de pacientes em uso de anticoagulantes orais, utilizando recorte temporal dos últimos cinco anos, fontes primárias e avaliação dos níveis de evidência. A coleta de dados foi realizada entre janeiro e fevereiro de 2023. A análise dos dados considerou a avaliação por pares, através da leitura do título, resumo, texto completo e classificação das publicações analisadas a partir do nível de evidência. A pesquisa resultou em 6 artigos científicos. Constatou-se que os conhecimentos necessários acerca dos anticoagulantes orais interferem na adesão ao tratamento medicamentoso e no autocuidado de pacientes anticoagulados. Evidenciou-se a busca de informação e conhecimento como estratégia de autocuidado, além do déficit de práticas específicas de autocuidado no uso de anticoagulantes orais. Reforça-se o papel fundamental do enfermeiro frente ao educar em saúde como potencial elo de confiança e comunicação entre pacientes, cuidadores e familiares para o fortalecimento do autocuidado.

References

ARAÚJO, R. A. et al. Capacidade de autocuidado e qualidade de vida no pré-operatório de revascularização miocárdica. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 14, n. 4, p. 12-22, 2015.

ÁVILA, C. W. et al. Adesão farmacológica aos anticoagulantes orais e fatores que influenciam an estabilidade do índice internacional normalizado. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 19, n. 1, p. 18–25, 1 fev. 2011.

BENEVIDES, J. L. et al. Desenvolvimento e validação de tecnologia educacional para cuidados com úlceras venosas. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 50, n. 2, p. 306-312, 2016.

BERARDINELLI, L. M. M. et al. Tecnologia educacional como estratégia de empoderamento de pessoas com enfermidades crônicas. Revista Enfermagem UERJ, v. 22, n. 5, p. 603-609, 2014.

COLET, C.; AMADOR, T. A.; HEINECK, I. Itinerário terapêutico: trajetória para resolução de eventos adversos de pacientes usando varfarina no Sul do Brasil. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, v. 54, n. 3, p. e17738, 2018.

FIGUEIRÊDO, T. R. et al. Adesão farmacológica e conhecimento de pacientes anticoagulados. Avanços em Enfermagem, v. 36, n. 2, p. 143-152, 2018.

FIGUEIREDO, T. R. et al. Conhecimento de pacientes em acompanhamento ambulatorial sobre a terapia de anticoagulação oral. Revista Pesquisa Cuidado Fundamental, v. 8, n. 1, p. 3883-3892, 2016.

GENTIL, L. L. S. et al. Manual educativo de cuidados no pós-operatório de revascularização miocárdica: uma ferramenta para pacientes e familiares. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 19, p. a38, 2017.

KIMMEL, S. E. et al. Ensaio randomizado de incentivos baseados em loteria para melhorar a adesão à varfarina. American Heart Journal, v. 164, n. 2, p. 268-274, 2012.

KROPF, S. P.; AZEVEDO, N.; FERREIRA, L. O. Doença de Chagas: a construção de um fato científico e de um problema de saúde pública no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 5, n. 2, p. 347-365, 2000.

KURAMATSU, J. B. et al. Manejo da anticoagulação terapêutica em pacientes com hemorragia intracerebral e valvas cardíacas mecânicas. European Heart Journal, v. 39, n. 19, p. 1709-1723, 2018.

LAVÍTOLA, P. L. et al. Sangramento durante a anticoagulação oral: alerta sobre um mal maior. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 93, n. 2, p. 174-179, 2009.

LEAL, P. M. et al. Construindo soluções para segurança do paciente cardiopata em uso de varfarina: estudo qualitativo. Texto & Contexto Enfermagem, v. 29, p. e20180002, 2020.

LOZANO, R. A. G.; LEAL, J. E. G. Warfarina y prácticasculturales. Cultura e Cuidado, v. 23, n. 55, p. 142-154, 2019.

MENDES, E. V. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2012.

MENESES, L. S. T. et al. Prática de autocuidado de pacientes com prótese valvar cardíaca mecânica acompanhados em consulta de enfermagem. Saúde, v. 7, n. 10, p. 1387-1395, 2015.

MENESES, L. S. T. Avaliação da prática do autocuidado de pacientes com prótese cardíaca valvar mecânica [dissertação]. Fortaleza (CE): Universidade Federal do Ceará, 2014.

MOLINA, F. T.; ZANUSSO, G. J. Anticoagulantes cumarínicos: ações, riscos e monitoramento da terapêutica. Saúde e Biologia, v. 9, n. 2, p. 75-82, 2014.

NETO, O. P. A. et al. Perfil clínico, adesão e satisfação terapêutica de pacientes em uso de anticoagulantes orais. Revista Atenção à Saúde, v. 14, n. 47, p. 61-66, 2016.

OLIVEIRA, S. H. S. et al. Crenças relacionadas à adesão à dieta de pacientes tratados com anticoagulantes orais. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 40, p. e20190083, 2019.

OREM, D. E. Enfermagem: conceitos de prática. 6. ed. St Louis: Mosby-Year Book, 2001.

PELEGRINO, F. M. et al. Protocolo educativo para pacientes em uso de anticoagulante oral: construção e validação. Texto & Contexto Enfermagem, v. 23, n. 3, p. 799-806, 2014.

PEREIRA, D. A. et al. Necessidades de aprendizagem acerca da cirurgia cardíaca. Revista da SOBECC, v. 23, n. 2, p. 84-88, 2018.

PESSOA, N. R. C. Construção e validação de um vídeo educacional para a promoção do autocuidado de pacientes com fístula arteriovenosa [dissertação]. Recife (PE): Universidade Federal de Pernambuco, 2017.

PETHERICK, A. Doença de Chagas no Chaco. Natureza (Londres), v. 465, Supl. 7301, p. S18-S20, 2010.

QUEIROGA, A. V. Educação em saúde para promoção do autocuidado de pacientes em uso de anticoagulantes orais [dissertação]. Recife (PE): Universidade de Pernambuco/Universidade Estadual da Paraíba, 2016.

SÁ, S. P. C. et al. Uma proposta para mensuração do autocuidado em idosos. Cogitare Enfermagem, v. 16, n. 4, p. 661-666, 2011.

SCHOFILD, C. J.; JANNIN, J.; SALVATELLA, R. O futuro do controle da doença de Chagas. Trends in Parasitology, v. 22, n. 12, p. 583-588, 2006.

SIMONETTI, S. H. et al. Adesão à terapia com anticoagulantes orais: uma revisão integrativa. Jornal de Enfermagem UFPE online, v. 8, n. 8, p. 2851-2863, 2014.

SOUZA, T. F.; COLET, C. F.; HEINECK, I. Nível de informação e adesão à terapia de anticoagulação oral com varfarina em pacientes acompanhados em ambulatório de atenção primária à saúde. Jornal Vascular Brasileiro, v. 17, n. 2, p. 109-116, 2018.

VITOR, A. F.; LOPES, M. V. O.; ARAUJO, T. L. Teoria do Déficit de Autocuidado: Análise da sua importância e aplicabilidade na prática de Enfermagem. Escola Anna Nery, v. 14, n. 3, p. 611-616, 2010.

Published

2024-06-05

How to Cite

Gonçalves, K. K. N., Ramos, V. P., Sousa Júnior, B. S. de, Morais, C. A. C., & Lima, S. G. R. de. (2024). Conhecimentos necessários para o autocuidado de pacientes em uso de anticoagulantes orais: revisão integrativa da literatura. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e6549 . https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-042

Issue

Section

Articles