Guerra psicológica e a imprensa feminista: um estudo do Jornal Brasil Mulher em Londrina durante a Ditadura Militar (1964-1985)

Authors

  • Fabio Lanza
  • Lívia Campanheli
  • José Wilsson Assis Neves Júnior
  • Luan Prado Piovani
  • João Marcos Camargo Nalli

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-114

Keywords:

ditadura militar (1964-1985), Jornal Brasil Mulher, imprensa feminista, guerra psicológica

Abstract

Este artigo tem como objetivo investigar o papel da imprensa feminista, especificamente o Jornal Brasil Mulher em Londrina, durante a ditadura militar no Brasil, destacando a violência da guerra psicológica imposta pelos ditadores. Utilizando uma abordagem de pesquisa documental, analisando os documentos do Serviço Nacional de Informações (SNI) da Agência de Curitiba, foi possível compreender como o Jornal Brasil Mulher enfrentou as pressões da censura e da perseguição em um contexto de estratégias de manipulação psicológica usadas pela ditadura para controlar e influenciar a sociedade paranaense. Este estudo contribuiu para uma compreensão mais aprofundada da atuação da imprensa feminista como um espaço de resistência, documentando como a guerra psicológica afetou o jornal e suas estratégias, além de evidenciar o papel das mulheres nesse contexto. Os resultados indicaram a importância da liberdade de expressão e dos direitos das mulheres na construção de uma sociedade mais justa, equitativa, igualitária e a promoção de narrativas históricas que reconheçam o protagonismo feminino.

References

ALVES, M. H. M. State and Opposition in Military Brazil. Austin: University of Texas, 1985.

AQUINO, Maria A. Censura, imprensa, Estado Autoritário (1968-1978): o exercício cotidiano da dominação e da resistência; O Estado de São Paulo e Movimento. Bauru: EDUSC, 1999.

ARAÚJO, Maria Paula Nascimento. A utopia fragmentada: as novas esquerdas no Brasil e no mundo na década de 1970. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000.

ARENDT, Hannah. A promessa da política. Rio de Janeiro, DIFEL, 2008

BATISTA, Nilo. Reflexões sobre terrorismos. In: PASSETTI, Edson; OLIVEIRA, Salete. (Org.). Terrorismo. São Paulo, EDUC, 2006.

BAUER, C. S. Terrorismo de Estado e repressão política na ditadura cívico-militar de segurança nacional brasileira (1964-1988). ANPUH – XXIII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA – Londrina, 2005.

BRASIL, Serviço Nacional de Informações. Cópia de documentos - Imprensa “Nanica” ou “Alternativa”, 19 de maio de 1977. ACT ACE 1621/81, 25 laudas. Sistema de Informações do Arquivo Nacional (SIAN).

BRASIL, Serviço Nacional de Informações. Cópia de documentos - Jornal Brasil Mulher, 15 de junho de 1976. ASP ACE 4250/80, 99 laudas. Sistema de Informações do Arquivo Nacional (SIAN).

BRASIL, Serviço Nacional de Informações. Cópia de documentos - Movimento Brasil Mulher, 11 de maio de 1976. AC ACE 91834/76, 22 laudas. Sistema de Informações do Arquivo Nacional (SIAN).

BRASIL, Serviço Nacional de Informações. Cópia de documentos - Temas explorados pelos meios de comunicação social que evidenciam ações de guerra psicológica adversa, 12 de maio de 1975. ACT ACE 2047/82, 7 laudas. Sistema de Informações do Arquivo Nacional (SIAN).

BRASIL. Decreto-Lei nº 314, de 13 de março de 1967. Define os crimes contra a segurança nacional, a ordem política e social e dá outras providências. Disponível em: https://www.planalto. gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/1965-1988/Del0314.htm. Acesso em: 25 de janeiro de 2024.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART; DESLAURIERS; GROULX; LAPERRIÈ; MAYER; PIRES. A pesquisa qualitativa. 3ª ed., Editora Vozes. Petrópolis, 2012.

CHAVES, Renan Ramos; ANTONIO, Mariana Dias; DE OLIVEIRA, Dennison. Guerra Psicológica: o conceito no jornal Última Hora (1961-1963). Política & Sociedade, v. 20, n. 49, p. 163-197, 2021.

DEBÉRTOLIS, Karen S. Brasil Mulher: Joana Lopes e a imprensa alternativa feminista. Dissertação (Mestrado) apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

LEITE, Rosalina de Santa Cruz. Brasil Mulher e Nós Mulheres: origens da imprensa feminista brasileira. Revista Estudos Feministas, Santa Catarina, v. 11, p. 234-241, 2003.

MARCONI, Paolo. A censura política na imprensa brasileira (1968-1978). São Paulo: Global Editora, 1980.

MAY, Tim. Pesquisa social: questões, métodos e processos. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

NEVES Jr, José W.A. Diretrizes e contradições da Doutrina De Segurança Nacional expostas no arquivo de documentos do Serviço Nacional De Informações do Paraná (1964-85). Estudos de Sociologia, v. 26, n. 51, 2021.

REIS, D. Governo da emergência: Estado de exceção, guerra ao terror e colonialidade. Rio de Janeiro: Multifoco, 2020.

ROCHA JUNIOR, Geovanni. O projeto de Distensão Social do Governo Geisel. In: Anais do XIX Encontro Estadual de História de Santa Catarina - Usos do Passado: Ética e Negacionismos, 2022.

SCHINKE, Vanessa Dorneles. O papel da Escola Superior de Guerra na sustentação do regime autoritário brasileiro. Revista Direito e Práxis, v. 10, p. 1955-1980, 2019.

SOUSA, Reginaldo Cerqueira. Ditadura Militar Brasileira: o aparelhamento do sistema repressivo e a fabricação do informante. História: Debates e Tendências 19.3 (2019): 420-438.

TERESTCHENKO, Michel. O bom uso da tortura. Ou como as democracias justificam o injustificável. São Paulo: Edições Loyola, 2011.

Published

2024-06-11

How to Cite

Lanza, F., Campanheli, L., Neves Júnior, J. W. A., Piovani, L. P., & Nalli, J. M. C. (2024). Guerra psicológica e a imprensa feminista: um estudo do Jornal Brasil Mulher em Londrina durante a Ditadura Militar (1964-1985). CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e6751 . https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-114

Issue

Section

Articles