Paternidade afetivamente inscrita no cuidado ao filho nos primeiros meses de vida: desafios para a enfermagem

Authors

  • Vitor de Oliveira Bastos
  • Leila Leontina do Couto Barcia
  • Sônia Regina de Souza
  • Carolina de Alcantara Campos
  • Mariana Lopes de Oliveira
  • Bruna Costa Pereira de Melo
  • Letícia Abreu da Silva
  • Vitória Aparecida Monteiro Coelho
  • Sallisa da Silva Souza

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-144

Keywords:

relação pai-filho, paternidade, empatia, crescimento e desenvolvimento, participação paterna, enfermagem

Abstract

Historicamente, as mulheres eram exclusivamente responsáveis pela criação dos filhos, enquanto os homens desempenhavam o papel de provedores financeiros da família, com pouca participação na gestação e no cuidado das crianças. Essa divisão era resultado de fatores culturais, históricos e sociais Através da paternidade afetivamente inscrita, identifica-se a inclusão da figura paterna no equilíbrio nas relações de gênero, influenciando a dinâmica familiar. Objetivos: Descrever o cuidado paterno ao filho nos primeiros meses de vida do recém-nascido;Relacionar a presença  paterna no apoio à esposa e ao filho nos primeiros meses de vida do recém-nascido; Analisar o cuidado paterno na preservação da saúde do filho segundo o conceito de paternidade afetivamente inscrita. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório com abordagem qualitativa. Resultados: Participaram 12 pais de recém-nascidos com entrevista de forma digital. A licença paternidade é um direito a ser conquistado. Foi identificada a presença do pai nos cuidados prestados ao filho; o apoio do pai na divisão dos cuidados do filho como forma de diminuir a sobrecarga de trabalho da mulher e o cuidado do pai com atitudes que influenciam na conservação/preservação da saúde do filho. A paternidade carece de reconhecimento no contexto do nascimento de uma criança no ambiente sociocultural e profissional. A interação afetiva influencia no desenvolvimento integral do recém-nascido. Conclusão: A paternidade afetivamente inscrita é essencial para o desenvolvimento integral da criança e crucial na saúde familiar. Os enfermeiros têm um papel fundamental em promover esse cuidado inclusivo. Estratégias que promovam uma prática clínica acolhedora para os pais são necessárias.

References

ARANHA, Edilene Albuquerque. O desenvolvimento da linguagem e pensamento da criança na visão de Piaget e Vygotsky. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso de Licenciatura em Pedagogia) - Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2016. Disponível em: <https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/1843/1/EAA15122016>. Acesso em: 23 dez 2023;

BATISTA, J. S. et al.O papel paterno durante o primeiro ano de vida do bebê: revisão integrativa.Revista Nursing; v.24 e.283; p. 6.806-6815; 2021. Disponível: <https://revistanursing.com.br/index.php/revistanursing/article/view/2112/2619>. Acesso em: 11 nov 2023;

BLACK, Maureen et al. The principles of Nurturing Care promote human capital and mitigate adversities from preconception through adolescence. BMJ Global Health, v.6, e.004436; 2021. Disponivel em: <https://gh.bmj.com/content/bmjgh/6/4/e004436.full.pdf>. Acesso em: 24 mai 2024;

CARNEIRO, Liana Maria Rocha et al. Benefícios da Presença Paterna nos Cuidados Com O Lactente. Rev. enferma. UERJ; v. 21(esp.1): p.637-641; Rio de Janeiro,2013. Disponível em:<https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/10040/7826>. Acesso em: 8 nov 2023;

CARVALHO, Janine Pestana; SCHIAVON, Amanda de Almeida; SACCO, Airi Macias. A romantização da maternidade: uma forma de opressão de gênero. Sena Corpus, 2018.Disponivel em:<http://www.editorarealize.com.br/editora/ebooks/senacorpus/2018/TRABALHO_EV103_MD3_SA3_ID316_23022018113230.pdf>. Acesso em: 18 out 2023;

CONTATORE,Octávio Augusto; MALFITANO, Ana Paula Serrata; BARROS,Nelson Filice. Por uma sociologia do cuidado: reflexões para além do campo da saúde. Trabalho, Educação e Saúde; v.17,n.1,e.0020031; Rio de Janeiro, 2019. Disponível em:<https://www.scielo.br/j/tes/a/5hfvTMrLvcrkNtCBtvhMD9P/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 12 jan 2024;

GOMES, Ilvana Lima Verde; CAETANOLL, Rosângela; JOR, Maria Salete Bessa; JORGEL, Maria Salete Bessa. A criança e seus direitos na família e na sociedade: uma cartografia das leis e resoluções. Revista Brasileira de Enfermagem; v.61, p.61-65; 2008. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/reben/a/gCSWpn7RFWtM3v8Mwd5FJcs/?lang=pt&format=pdf>.Acesso em: 12 jan 2024;

KROB, Adriane Diehl; PICCININI, Cesar Augusto; SILVA ,Milena da Rosa. A transição para a paternidade: da gestação ao segundo mês de vida do bebê .Psicologia USP; São Paulo, 2009; e. 20; v.2, p. 269-291. Disponível em:<https://www.scielo.br/j/pusp/a/BhfDWM9nB7Q9jNWyj8wTDkf/?format=pdf&lang=pt>.Acesso em: 2 nov 2023;

MELO, Ana Carolina Cardoso et al. Mudança nas áreas nasais em crianças com respiração oral após a limpeza e massagem nasal. CoDAS, 2016, p.770-777. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/codas/a/NHzmVKddN3D9SYWHZR8BmvQ/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 2 nov 2023;

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento. 14ª. Ed. São Paulo: Hucitec. 2015. p.416;

NASCIMENTO, Adriana Oliveira et al. The Importance Of Parental Accompaniment During Postpartum And the Fatherhood / A Importância do Acompanhamento Paterno no Pós-Parto e o Exercício da Paternidade. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, [S.L.], v. 11, n. 2, p. 475, 21 jan. 2019. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i2.475-480. Disponível em:<http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/6395/pdf>. Acesso em: 24 set 2023;

PINTO, Keli Regiane Tomeleri da Fonseca et al. Dificuldades na amamentação: sentimentos e percepções paternas. Journal of Nursing & Health- Faculdade de Enfermagem UFPel. v. 8, e.188106; p. 1-12; Londrina , 2018. Disponível em:< https://periodicos.ufpel.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/12758/8522>. Acesso em: 2 nov 2023;

SANTOS, Carine Valéria Mendes; ANTÚNEZ, Andrés Eduardo Aguirre. Paternidade afetivamente inscrita: modalidades de interação na relação pai-bebê. Arquivos Brasileiros de Psicologia. v.70 (1); p.224-238.Rio de Janeiro,2017. Disponível em:<http://pepsic.bvsalud.org/pdf/arbp/v70n1/16.pdf>. Acesso em: 8 nov 2023;

SANTOS, Márcio Souza, et al.Caracterização dos óbitos infantis por broncoaspiração, sufocação e síndrome da morte súbita.Semina: Ciências Biológicas e da Saúde. v. 40, n. 1, p.91-108; Londrina,2019. Disponível em:<https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/34822/26018>. Acesso em: 14 fev 2024;

SANTOS, Suzanne da Silva et al. A construção da paternidade ao nascimento do filho a termo e saudável. Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social. v. 2, p. 767-778; Minas Gerais, 2021. Disponível em:<https://www.redalyc.org/journal/4979/497971651008/html/>. Acesso em:11 jan 2024;

SILVA,Catarina Sofia Maia; MARTINS, Cristina Araújo. Tornar-se pai: a experiência da transição para a paternidade no pré-natal. Cultura de los Cuidados. 2023.n. 65 p.169-184. Disponível:<https://rua.ua.es/dspace/bitstream/10045/133174/1/CultCuid65_14.pdf>. Acesso em: 8 nov 2023;

SILVA, Kaynanda Porto, et al. Dermatite por Fralda: Características Dermatológicas e Avaliação Pediátrica. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação -REASE. São Paulo, 2023; v.9.n.10. Disponível em:<https://periodicorease.pro.br/rease/article/view/11699/5450>. Acesso em: 23 fev 2024;

SORJ, Bila; FRAGA, Alexandre Barbosa. Licenças maternidade e paternidade no Brasil: direitos e desigualdades sociais. Revista Brasileira de Estudos de População. v.39, p.1-19, e.0193. Rio de Janeiro, 2022. Disponível em:<https://www.scielo.br/j/rbepop/a/TPpGsJtpdKy59Hbrg4mjSVM/?format=pdf&lang=pt>.Acesso em: 15 jan 2024;

SOUSA, Conceição de Maria Farias et al. Percepção dos pais sobre sua participação no parto e nascimento. Enfermagem em Foco. v.11, n.4,p.29-34; Ceará,2020.Disponível em:. Acesso em: 13 jan 2024;

SOUZA, Michele Carvalho; FELIPE, Adriana Olímpia Barbosa: GRADIM, Clícia Valim Côrtes. Compreendendo a Relação da Família com o Crescimento e Desenvolvimento Infantil. Rev Fund Care Online.v. 11, n. 3, p. 694-699; 2019. Disponível em:<http://seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/6600>. Acesso em: 18 out 2023;

TRUDE, Angela et al; Effects of responsive caregiving and learning opportunities during pre-school ages on the association of early adversities and adolescent human capital: an analysis of birth cohorts in two middle-income countries. The Lancet Child & Adolescent Health, v.5,n.1, p.37-46; 2021. Disponível em: <https://www.thelancet.com/pdfs/journals/lanchi/PIIS2352-4642(20)30309-6.pdf>. Acesso em: 25 out 2023;

VEIGA, Maria Beatriz de Assis et al. Paternidade entre homens jovens: vivências, mudanças e possibilidades. Cuidado é Fundamental -Escola de Enfermagem Alfredo Pinto – UNIRIO; v.15; e.11890;2023. Disponível em:<https://doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v15.11890> Acesso em: 8 nov 2023;

VINUTO, Juliana. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, v. 22, n. 44, 2014. Disponível em:<https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/10977/6250>. Acesso em: 12 nov 2023.

Published

2024-06-17

How to Cite

Bastos, V. de O., Barcia, L. L. do C., Souza, S. R. de, Campos, C. de A., Oliveira, M. L. de, Melo, B. C. P. de, Silva, L. A. da, Coelho, V. A. M., & Souza, S. da S. (2024). Paternidade afetivamente inscrita no cuidado ao filho nos primeiros meses de vida: desafios para a enfermagem. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e6753 . https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-144

Issue

Section

Articles