Percepção de comunidades rurais do semiárido paraibano sobre o manejo dos recursos florestais da Caatinga

Authors

  • Virginia Gonçalves Borges
  • Alissandra Trajano Nunes
  • Hiram Marinho Falcão

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-106

Keywords:

etnobotânica, percepção ambiental, recursos florestais, conservação da diversidade, nordeste do Brasil

Abstract

Na Caatinga a exploração de recursos naturais realizada de forma indiscriminada provoca danos dificilmente remediáveis no âmbito ambiental, social e econômico. Nessa perspectiva, esta pesquisa analisou a percepção ambiental sobre os recursos florestais da caatinga em diferentes comunidades rurais. O estudo foi realizado com moradores das comunidades de Aroeira e Santana, ambas localizadas no município de Olivedos – Paraíba. Trata-se de um estudo etnobiológico/etnobotânico, de abordagem metodológica qualitativa e quantitativa. Foram entrevistados 65 informantes (53 moradores da Comunidade de Aroeiras) e (12 moradores da Comunidade de Santana), entre homens e mulheres, responsáveis pelas residências. A entrevista semiestruturada, ocorreu no período de maio a agosto de 2022. As informações foram enriquecidas e confirmadas com a utilização de outras técnicas de investigação como a observação participativa e a turnê guiada. Os dados obtidos foram transcritos, posteriormente categorizados e tabulados em planilha Excel. Como resultado constatou-se que os participantes identificam e/ou usam mais de 80 espécies de plantas distribuídas em sete categorias das quais destacam-se alimentação humana, medicinal e madeira (para combustível e construção). Em relação à percepção positiva, os entrevistados percebem a Caatinga como bioma, beleza, bem-estar, diversidade, mata fechada, resiliência, riqueza e vegetação, já as indicações negativas foram seca, sofrimento e escassez. Essa dicotomia reflete a realidade do ambiente, demonstrando que viver na região da caatinga lhes confere, para além das dificuldades, qualidade de vida pelo tipo de vegetação, beleza e diversidade de espécies úteis. Discute-se a importância dos recursos florestais, como estes são utilizados e a implicação para a conservação da Caatinga.

References

ALBUQUERQUE, U.P.; LUCENA, R.F.P.; ALENCAR, N.L. Métodos e técnicas para a coleta de dados. Albuquerque, U.P., Lucena, R.F.P. e Cunha, L.V.F. C. (Eds). Métodos e técnicas na pesquisa etnobotânica. Recife: Editora NUPEEA, pp. 41-72, 2010.

BARBOSA, J. E. L.; SILVA, M. M. P.; FERNANDES, M. Educação Ambiental e o desenvolvimento sustentável no semiárido. In: ABÍLIO, F. J. P (org). Educação Ambiental para o semiárido. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2011. 580 p.

BITENCOURT, R; MARQUES, J.; MOURA, G. O imaginário sobre a caatinga representada nos desenhos infantis de estudantes do Nordeste do Brasil. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), v. 9(2), p. 254–269, 2014.

CAMPOS, C.J.G. Método de Análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista Brasileira Enfermagem. Brasília (DF), p. 611-614, set/out, 2004.

CHAVES, A. D. C. G.; SANTOS, R. M. S.; SANTOS, J. O.; FERNANDES, A. A.; MARACAJÁ, P. B. A importância dos levantamentos florístico e fitossociológico para a conservação e preservação das florestas. Revista ACSA - OJS, vol. 9, n. 2, p. 42- 48, 2013.

GOMES, C. C. Potencial utilitário da vegetação lenhosa em área de Caatinga no estado de Pernambuco, nordeste do Brasil. Ciência Florestal, v. 29, n. 1, p. 307-321, 2019.

PRADA, M. De La C.; NUNES, A. T.; OLIVEIRA, A. F. M; CAVALCANTI, L. H. Multifunctional plants used in the diet of Quilombolas in the Castainho Community (Garanhuns, Pernambuco). Ethnobotany Research and Applications, v. 24, p. 1–12, 2022.

FREITAS, A. V. L.; COELHO, M. F. B.; PEREIRA, Y. B.; FREITAS NETO, E. C.; AZEVEDO, R. A. B. Diversidade e usos de plantas medicinais nos quintais da comunidade de São João da Várzea em Mossoró, RN. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 17, p. 845-856, 2015.

FORZZA, R.C et al. Catálogo de plantas e fungos do Brasil. Vol. 1, Andrea Jakobsson Estúdio Editorial, Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010. 870p.

GALEANO, G. Forest use at the Pacific Coast of Chocó, Colômbia: a quantitative approach. Economic Botany, v. 54, 358e376, 2000.

GARIGLIO, A. M. A rede de manejo florestal da Caatinga. In: GARIGLIO, M. A.; SAMPAIO, E. V. S.B.; CESTARO, L. A.; KAGEYAMA, P. Y. (Orgs). Uso sustentável e conservação dos recursos florestais da Caatinga. Brasília, Serviço Florestal Brasileiro, 2010. Cap.4, p. 199-204.

LEITE, A. P et al. Uso e conhecimento de espécies em uma comunidade rural no Vale do Piancó (Paraíba, Nordeste, Brasil). Revista de Biologia e Farmácia. Volume especial: 133-157, 2012.

LUCENA, R. F. P et al. Does the use-value of woody plants of the Caatinga (Northeastern Brazil) explain their local availability? Economic Botany, v. 61, n.4, p. 347-361, 2007.

LUCENA, R. F. P et al. Local Uses of Native Plants in an Area of Caatinga Vegetation (Pernambuco, NE Brazil). Ethnobotany Research & Applications, v. 6, p. 3-13, 2008.

LUCENA, R. F. P et al. Uso de Recursos Vegetais da Caatinga em uma Comunidade Rural no Curimataú Paraibano (Nordeste do Brasil). Polibotánica, v. 34, p. 237-258, 2012.

MAIA, J.M et al. Motivações socioeconômicas para a conservação e exploração Sustentado do bioma Caatinga. Desenvolvimento e Meio ambiente, v. 41, p. 295-310, 2017.

MATA NATIVA, O que é manejo florestal? Mata Nativa, 2019. Disponível em: <https://www.matanativa.com.br/manejo-florestal-sustentavel/> acesso em: 10/10/2021

MEDEIROS, P. M. Uso de produtos madeireiros para ins domésticos em uma área de Floresta Atlântica no Nordeste brasileiro. Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2010. p. 42- 60. Tese de Doutorado

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). 2015. Disponível em: http://www.mma.gov.br/biomas/caatinga >. Acesso em: 20/06/ 2022.

NUNES, A.T; DUARTE, C.H.C. Plantas úteis nos quintais da comunidade quilombola do Castainho, Garanhuns – Pernambuco. In: Perspectivas teóricas e práticas das relações humanas com a natureza. Orgs: Marcelo Alves Ramos, Washington Ferreira Júnio - Recife, PE: Edupe: pp. 154, 2021.

OLIVEIRA, R. L. C et al. Conservation priorities and population structure of woody medicinal plants in area of Caatinga vegetation (Pernambuco State, NE Brazil). Environmental Monitoring and Assessment, v. 132, p. 89-206, 2007.

SANTOS, J. O.; SANTOS, R. M. S.; SANTOS SEGUNDO, J. O.; SANTOS, V. C. Análise da percepção ambiental acerca do bioma Caatinga por parte dos docentes de uma escola pública do município de Patos, Paraíba. REGNE, v. 2, p. 1-10, 2016.

SOUZA, L. S.; SILVA, S. Percepção ambiental do bioma caatinga no contexto escolar. Revista Ibero-americana de Educação, v. 73(1), p. 67-86, 2017.

SOUSA, R. F et al. Estudo Etnobotânico de Myracrodruon urundeuva Allemão em uma Comunidade Rural na Microrregião de Itaporanga, Paraíba, Brasil. Revista de Biologia e Farmácia, v. 07(1), p. 72-83, 2012.

SILVA, T. R.; COSTA NETO, E. M.; ROCHA, S. S. Etnobiologia do caranguejo de água doce Trichodactylus fluviatilis Latreille, 1828 no povoado de Pedra Branca, Santa Teresinha, Bahia. Gaia Scientia (UFPB), v. 8, p. 51-64, 2014

SILVA, T. C.; ALBUQUERQUE, U. P. O que é percepção ambiental? In: ALBUQUERQUE, U. P. Introdução à Etnobiologia. Recife: NUPPEA, 2014, p.55-58.

SILVA, J. S. Impactos ambientais na Caatinga (Manuscrito): a percepção de alunos de 3ª serie do ensino médio da Escola Estadual Prefeito Severiano Pereira Gomes, Municipio de Barauna PB. Universidade Estadual da Paraíba, 2015. Trabalho monográfico.

TABARELLI, M.; LEAL, I. R.; SCARANO, F. R.; SILVA, J. M. C. Caatinga: legado, trajetória e desafios rumo à sustentabilidade. Revista Ciência e Cultura. v.70(4), p. 1-5, 2018.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 15ªed. São Paulo-SP: Cortez, 2007.

Published

2024-06-11

How to Cite

Borges, V. G., Nunes, A. T., & Falcão, H. M. (2024). Percepção de comunidades rurais do semiárido paraibano sobre o manejo dos recursos florestais da Caatinga. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e6851 . https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-106

Issue

Section

Articles