Filosofia do direito: um diálogo entre referências

Authors

  • Ronaldo Spricigo
  • Matheus Campos Chagas

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-099

Keywords:

filosofia do direito, justiça, consciência social, políticas da inimizade

Abstract

Este artigo propõe uma análise abrangente da filosofia do direito, considerando as obras de pensadores influentes como Hannah Arendt, Paul Ricoeur, Michel Foucault, Achille Mbembe, Patrícia Hill Collins e Sueli Carneiro. Ao explorar temas que vão desde as origens do totalitarismo até as políticas da inimizade e o pensamento feminista negro, buscamos traçar conexões e reflexões sobre a condição humana, a justiça, o poder, e a consciência social. Cada pensador contribui para a formação de um tecido intelectual rico e diversificado, no qual as nuances das experiências humanas são consideradas em sua totalidade. Assim, a busca pela compreensão crítica torna-se um exercício colaborativo que ressoa através do tempo e espaço, inspirando diálogos que transcendem fronteiras e fomentam uma apreciação mais profunda da complexidade do tecido social. O chamado coletivo dessas vozes ressoa como um convite constante à reflexão e à ação, convidando-nos a desafiar e transformar estruturas opressivas em busca de uma compreensão mais ampla, inclusiva e justa das dinâmicas humanas.

References

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. (Parte III, Prefácio, 1 e 2. pp. 339-438).

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. (Parte III, 3 e 4. pp. 439-531).

ARENDT, Hannah. A condição humana. 13. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2016. (Prólogo, Capítulos I, V e VI).

BENDIM, Gilmar Antonio. O Pensalmento Polícito de Norbert Lechber e o Papel da Ideia de Utopia do Consenso como Fundamento da Democracia. Rev. Direitos Fundamentais & Democracia, v. 27, n. 1, p. 33-47, jan./abr. 2022.

CARNEIRO, Sueli. Escritos de uma vida. São Paulo: Pólen Livros, 2019.

COLLINS, Patricia Hill. Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. São Paulo: Boitempo, 2019. (Capítulos: 1, 2, 3, 4, 11 e 12).

COMPARATO, F. K. Direito Como Parte da Ética. In: O que é a Filosofia do Direito? 1. São Paulo. Manole. 2004.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade: curso do Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MBEMBE, Achille. Políticas da inimizade. São Paulo: N1, 2020. (pp. 11-109).

MBEMBE, Achille. A ideia de um mundo sem fronteiras. Trad. Stephanie Borges. Revista Serrote, Instituto Moreira Salles, 2019. Disponível em: https://www.revistaserrote.com.br/2019/05/a-ideia-de-um-mundo-sem-fronteiras-por-achille-mbembe/. Acesso em: 10 jan. 2024.

RAWLS, John. Justiça e democracia. Trad. Irene A. Paternot. Seleção, apresentação e glossário Catherine Audard. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

RAMPAZZO, Lino. Il Diritto Tra Gli Esseri Umadi di Ogni Colore. Rev. Direitos Fundamentais & Democracia, v. 27, n. 1, p. 157-180, jan./abr. 2022.

REALE, Miguel. Filosofia do Direito. 3ª tiragem, São Paulo: Editora Saraiva, 2002.

RICOEUR, Paul. O justo 1: a justiça como regra moral e como instituição. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

Published

2024-06-11

How to Cite

Spricigo, R., & Chagas, M. C. (2024). Filosofia do direito: um diálogo entre referências. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e6863 . https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-099

Issue

Section

Articles