Análise de vídeos no YouTube sobre campanha de doação de medula óssea

Authors

  • Valéria Dantas de Azevedo
  • Gabriela de Araújo Albuquerque
  • Josiel Moreira da Silva
  • Tássia Regine de Morais Alves
  • Jéssica Cristina Alves de Melo
  • Júlia Maria de Lira
  • Viviane Euzébia Pereira Santos
  • Isabelle Campos de Azevedo

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-020

Keywords:

doações, medula óssea, mídia audiovisual, filme e vídeo educativo, educação em saúde

Abstract

O presente estudo objetivou analisar os aspectos dos conteúdos abordados nos vídeos sobre doação de medula óssea disponíveis no YouTube®. Trata-se de uma pesquisa transversal, exploratória, com abordagem quantitativa, realizada no Google em que foi utilizada a opção “Vídeos” para acesso ao material audiovisual indexados no YouTube®. A coleta dos dados aconteceu em agosto de 2022 e foi realizada a seguinte estratégia de busca “Doação” and “Medula Óssea”. Os vídeos selecionados foram analisados por estatística descritiva simples. Como principais resultados, a amostra foi composta por nove vídeos que buscaram esclarecer a população sobre a doação de medula óssea. Entre os principais aspectos abordados estavam os critérios para doação de medula óssea, a redução das doações e de cadastro no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea. Portanto, concluiu-se que as campanhas de conscientização por meio das mídias de informatização mostraram ser de grande valia para a promoção de conhecimento e conscientização sobre essa temática.

References

ALJURF, M. et al. Worldwide Network for Blood & Marrow Transplantation (WBMT) special article, challenges facing emerging alternate donor registries. Bone marrow transplantation, v. 54, n. 8, p. 1179-1188, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1038/s41409-019-0476-6. Acesso em: 08 ago. 2022.

BAZINET, A.; POPRADI, G. A general practitioner’s guide to hematopoietic stem-cell transplantation. Current Oncology, v. 26, n. 3, p. 187-191, 2019. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31285665/. Acesso em: 25 jul. 2022.

BERNARDAZZI, R.; COSTA, M. H. B. V. Produtores de conteúdo no YouTube e as relações com a produção audiovisual. Communicare, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 146-160, 2017. Disponível em: https://www.academia.edu/36020664/Youtubers_e_as_rela%C3%A7%C3%B5es_com_a_produ%C3%A7%C3%A3o_audiovisual. Acesso em: 24 jul. 2022.

BOUZAS, L.F.S. Os avanços da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, v. 26, n. 3, p. 153-154, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-84842004000300001. Acesso em: 15 ago. 2022

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Ministério da Saúde. Confira informações sobre doação e transplante de medula óssea. Brasília: Ministério da Saúde, 2021. Disponível em: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/confira-informacoes-sobre-doacao-e-transplante-de-medula-ossea. Acesso em: 01 mar. 2022

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 685, de 16 de junho de 2021. Exclui procedimento e altera registro de atributos na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS referentes a Transplantes. Brasília: Ministério da Saúde, 2021. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/Saes/2021/prt0685_18_06_2021.html. Acesso em: 28 ago. 2022

BRITISH BROADCASTING CORPORATION. Sabe como identificar uma notícia falsa? Siga os 7 passos deste guia, 2018. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/geral-45967195. Acesso em: 12 ago. 2022

CHEHUEN NETO, J. A. et al. Fatores para o status de ser doador de medula óssea em cidade médio porte. HU Revista, v. 47, n.1, p. 1-11, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/34072. Acesso em: 15 ago. 2022

DAMBROS, V. L. et al. Análise dos transplantes de medula óssea realizados no Brasil entre 2015 e 2020. Hematology, Transfusion and Cell Therapy, v. 43, n. 1, p. 247-248, 2021. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2531137921005678. Acesso em: 25 jul. 2022.

FARIAS, J. A. et al. Tuberculose: análise de vídeos do youtube. Revista Interdisciplinar em Saúde, v. 7, n 1, p. 1385-1397, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.35621/23587490.v7.n1.p1385-1397. Acesso em: 31 jul. 2022.

GLASER, E. V. L. et al. O Enfermeiro frente aos fatores que dificultam a doação de medula óssea. Brazilian Journal of Development, v. 7, n. 1, p. 3240-3249, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-218. Acesso em: 08 ago. 2022

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea. In: INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (Brasil). Situação do cadastro no REDOME durante a pandemia. Brasília: Instituto Nacional do Câncer, 2021. Disponível em: http://redome.inca.gov.br/situacao-do-cadastro-no-redome-durante-pandemia/. Acesso em: 20 ago. 2022

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea. In: INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. Como é feita a doação. Brasília: Instituto Nacional do Câncer, 2022. Disponível em: https://redome.inca.gov.br/institucional/. Acesso em: 20 dez. 2022

KHADDOUR, K; HANA, C. K; MEWAWALLA, P. Hematopoietic Stem Cell Transplantation. StatPearls, v. 1, n. 1, p. 1-34, 2021. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK536951/. Acesso em: 08 set. 2021.

OLIVEIRA, J. L; SILVA, M. P. O uso das tecnologias educacionais no ensino fundamental em uma escola em Araguatins-TO. Humanidades & Inovação, v. 6, n. 10, p. 155-168, 2019. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/1152. Acesso em: 15 ago. 2022

PAULA, F. D, et al. Conscientização para doação de sangue e cadastro para doação de medula óssea em período de interações sociais limitadas. Hematology, Transfusion and Cell Therapy, v. 43, n.1, p. 342-343, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.htct.2021.10.581. Acesso em: 17 ago. 2022

PINHEIRO, R. F. et al. Materiais educativos de incentivo a doação de sangue: uma revisão bibliográfica. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 13, n. 11, p. 1-10, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.25248/reas.e9008.2021. Acesso em: 31 jul. 2022.

RAMOS, A. F.; GERALDO, A. Diversidade étnica de candidatos a doação de medula óssea e os desafios pós pandemia da COVID-19. Hematology, Transfusion and Cell Therapy, v. 43, n. 1, p. 254, 2021. Disponível em: https://www.htct.com.br/pt-pdf-S2531137921005782. Acesso em: 11 ago. 2022.

RODRIGUES, J. A. P. et al. Cuidados de enfermagem aos pacientes em pós-transplante de células-tronco hematopoiéticas: revisão integrativa. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 74, n. 3, p. 1-11, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/bXSCg76YGhMngcy7Dyh7BYh/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 24 jul. 2022.

SERUR, I. P. et al. Relato de experiência da extensão “Doação de medula óssea: uma ação para a vida” na cidade de recife (PE). Hematology, Transfusion and Cell Therapy, v. 42, n. 2, p. 496-497, 2020. Disponível em: https://www.htct.com.br/pt-pdf-S2531137920311238. Acesso em: 11 ago. 2022.

SOARES, S. S. S. et al. Teaching Iramuteq for use in qualitative research according to YouTube videos: an exploratory-descriptive study. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 56, n. 1, p. 1-9, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-220X-REEUSP-2021-0396. Acesso em: 01 ago. 2022.

VELAVAN, T. P; MEYER, C. G. The COVID‐19 epidemic. Tropical Medicine & International Health, v. 25, n. 3, p. 278-280, 2020 Disponível em: https://doi.org/10.1111/tmi.13383. Acesso em: 15 ago. 2022

Published

2024-06-05

How to Cite

Azevedo, V. D. de, Albuquerque, G. de A., Silva, J. M. da, Alves, T. R. de M., Melo, J. C. A. de, Lira, J. M. de, Santos, V. E. P., & Azevedo, I. C. de. (2024). Análise de vídeos no YouTube sobre campanha de doação de medula óssea. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e7260. https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-020

Issue

Section

Articles