Métodos não farmacológicos para manejo da dor em UTI neonatal: uma revisão integrativa

Authors

  • Marcela Bezerra Dias
  • Wagner da Costa Dias
  • Viviane Aparecida de Souza Grillo
  • Ary Andrade Viana
  • Samuel de Castro Campos
  • William Gomes Silva
  • Francisco Wagner dos Santos Sousa

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-023

Keywords:

métodos não farmacológicos, manejo da dor, terapia intensiva, neonato

Abstract

Objetivo: Descrever, de acordo com a literatura, as principais medidas não farmacológicas que podem ser aplicadas no manejo da dor na UTI Neonatal assim como identificar lacunas neste campo. Método: Revisão integrativa da literatura. A busca eletrônica de dados ocorreu em março de 2024 através das bases de dados: Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Electronic Library Online (LILACS). Dentre os critérios de elegibilidade foram: artigos publicados de 2019 a 2023, disponíveis na íntegra, na língua portuguesa. Resultados: Evidenciou-se a massagem terapêutica; participação direta da família; utilização de um Bundle ilustrativo em local de fácil acesso; implantação de protocolos; utilização de escala de dor; auditorias internas, sensibilização da equipe; redução de luminosidade e aconchego no leito; manuseio mínimo, contenção facilitada; uso de glicose via oral e sucção não nutritiva; uso de luva de chupeta; participação da equipe multiprofissional e ações educativas. Conclusão: Os estudos apontaram para a importância do manejo não farmacológico para o alivio da dor nos neonatos, por ser desenhado e praticado por equipe multiprofissional. A família é considerada como agente ativo destas intervenções devido aos protocolos desenvolvidos onde são requeridos aspectos como os vínculos com os neonatos. Entretanto, ainda falta implementações destes treinamentos, sistematização de protocolos e novos estudos que avaliem as intervenções nos pacientes e nas equipes multiprofissionais.

References

BONATO, L. C.; DEZORDI, C. C. M.; REBELATO, C. T. C. Perceptions of the Neonatal Intensive Care Unit team and the nursery about newborn pain. Brjp, v. 7, n. e20240001, 2024.

CASTRAL, T.C et al. Implementação de intervenção de tradução e intercâmbio do conhecimento para manejo da dor do neonato. Acta Paul Enferm. v. 36, p. eAPESPE024073, 2023.

COSTA, K.S.F et al. Rede de descanso e ninho: comparação entre efeitos fisiológicos e comportamentais em prematuros. Rev Gaúcha Enferm. v.37, n.e62554, 2016.

DA COSTA, F. N. et al. Estratégias de prevenção das lesões por pressão em pacientes críticos: uma revisão integrativa. Observatório De La Economía Latinoamericana, v. 22, n. 2, p. e3411-e3411, 2024.

DA SILVA, Shalimar Farias et al. Intervenções não farmacológicas no controle da dor em recém-nascidos pré-termo: conhecimento da equipe de enfermagem. Nursing, v. 24, n. 278, p. 5892-5901, 2021.

DE JESUS, Larissa S. et al. MÉTODOS NÃO FARMACOLÓGICOS PARA O ALÍVIO DA DOR NO TRABALHO DE PARTO: UMA SCOPING REVIEW. Revista Inspirar Movimento & Saude, v. 23, n. 2, 2023.

DUMONT, Fani Elesbão et al. Métodos não farmacológicos para manejo da dor na uti neonatal. Brazilian Journal of Implantology and Health Sciences, v. 6, n. 1, p. 761-783, 2024.

FONSECA, Simone Alves da et al. Cuidado centrado na família na unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN): experiências de enfermeiras. Enfermería (Montevideo), Montevideo, v. 9, n. 2, p. 170-190, dic. 2020.

MACHADO, Rafaela Ribeiro; SANTOS, Amanda Francielle. Avaliação da dor e métodos não farmacológicos aplicados pela equipe de enfermagem no recém-nascido: revisão de literatura. Inova Saúde, v. 13, n. 1, p. 52-59, 2023.

MACIEL, H. I. A. et al. Pharmacological and nonpharmacological measures of pain management and treatment among neonates. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 31, n. 1, 2019.

NETO, J; RODRIGUES, B. Tecnologia como Fundamento do Cuidar em Neonatologia. Texto Contexto Enfermagem, v. 01, n. 02, p. 372-377, 2010.

NEVES, Raphaela Santos; ZIMMERMANN, Jennyfer; BROERING, Camilla Volpato. UTI Neonatal: o que dizem as mães. Psicologia e Saúde em debate, v. 7, n. 1, p. 187-214, 2021.

NUNES, J. A. et al. Assistance flowchart for pain management in a Neonatal Intensive Care Unit. Revista Brasileira De Enfermagem, v.71, p.1281–1289, 2023.

ROCHA, A.D; COSTA, A.M. Uso de luvas de látex em substituição às chupetas em Hospitais Amigos da Criança. Revista de Pediatria SOPERJ. v.21, n.3, p.98-106, 2023.

ROCHA, V.A et al. Painful procedures and pain management in newborns admitted to an intensive care unit. Rev Esc Enferm USP, 2021.

RODRIGUES, L.S.P; SHIMO, A.K.K. Baixa luminosidade em sala de parto: vivências de enfermeiras obstétricas. Rev Gaúcha Enferm. v.40, n.e20180464, 2019.

SILVA, M.D et al. Pain relief measures in infants with family participation: an integrative review. Rev. Enferm. UFSM, 2022.

SILVA, Michelly Dias da; CARVALHO, Rachel de. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), v. 8, p. 102-106, 2010.

SILVA, Pollianna Marys de Souza; MELO, Rayza Helene Batista; SILVA, Larissa Fernandes. Informação em saúde: práticas de humanização em UTI neonatal e seus impactos a partir das rotinas e condutas na recuperação dos recém-nascidos, 2022.

SILVA, Ruth de Sousa Silva; SANTOS, Joé Victor de Oliveira; ARAUJO, Ludgleydson Fernandes. O sentido da vida de mães com filhos na UTI neonatal. Rev. NUFEN, Belém, v. 13, n. 1, p. 222-241, abr. 2021.

SILVEIRA, A.L.D et al. Efeito da glicose e sucção não nutritiva na dor de prematuros na punção: ensaio clínico crossover. Rev esc enferm USP. v.55, n.e03732, 2021.

SOUZA, Marcela Tavares; SILVA, Michelly Dias; CARVALHO, Rachel. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), v. 8, p. 102-106, 2010.

UEMA, R. T. B. et al. Construção de um bundle para alívio da dor na punção arterial norteado pela Tradução do Conhecimento. Escola Anna Nery, v. 26, 2022.

UEMA, R. T. B et al. Manejo da dor durante a punção arterial no neonato: estudo descritivo. Revista Enfermagem UERJ, v.29, n.1, 2021.

VIANA, A.L.O et al. Avaliação e o manejo da dor neonatal: uma ação educativa para graduandos de enfermagem. Rev. Enferm. UFPI, 2019.

WHITTEMORE, R.; KNAFL, K. The integrative review: updated methodology. J Adv Nurs. v.52, n.5, p. 546-53, 2005.

Published

2024-06-05

How to Cite

Dias, M. B., Dias, W. da C., Grillo, V. A. de S., Viana, A. A., Campos, S. de C., Silva, W. G., & Sousa, F. W. dos S. (2024). Métodos não farmacológicos para manejo da dor em UTI neonatal: uma revisão integrativa. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e7263. https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-023

Issue

Section

Articles