Efetividade das metodologias ativas de ensino no desenvolvimento do pensamento crítico em estudantes de graduação em enfermagem: uma umbrella review

Authors

  • Ana Luiza Barbosa Negreiros
  • Loislayne Barros Leal
  • Iolanda Gonçalves de Alencar Figueredo
  • Wevernilson Francisco de Deus
  • Priscila Martins Mendes
  • Ana Roberta Vilarouca da Silva
  • Fernanda Valéria Silva Dantas Avelino
  • Maria Zélia de Araújo Madeira

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-143

Keywords:

ensino, metodologias ativas, enfermagem, revisão sistemática

Abstract

O desenvolvimento do pensamento crítico é condição essencial para que estudantes de enfermagem desenvolvam correto raciocínio clinico. Faz-se necessário compreender a efetividade das Metodologias Ativas para a construção do pensamento crítico e sua adequação ao processo de aprendizagem dentro dos cursos de graduação em Enfermagem. Objetivo: Reunir as evidências em revisões acerca da eficácia das Metodologias Ativas no desenvolvimento do pensamento crítico de estudantes de graduação de Enfermagem. Método: Umbrella Review, conforme metodologia adotada pelo JBI, a ser realizada em sete bases de dados, lista de referências e Google Scholar para responder à pergunta: “qual a efetividade das metodologias ativas de ensino no desenvolvimento do pensamento crítico em estudantes de graduação em enfermagem?” Dois revisores independentes selecionarão a amostra final mediante critérios de inclusão/exclusão usando os programas EndNote® e Rayyan. Os dados serão extraídos com formulário adaptado e reportados pela extensão do checklist PRISMA, o protocolo foi registrado na Internantional Pospective Register of Sistematic Review (PROSPERO) com ID CRD42023457546.

References

AMARAL, Ionara Barcellos. O educar pela pesquisa e a aprendizagem significativa crítica: uma união a favor do aluno na construção da autonomia e de conhecimentos. 2010. 145f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Faculdade de Física, Pontifica Católica Universidade do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-22092016-121953/pt-br.php. Acesso em: 04 mar 2024.

AROMATARIS, Edoardo et al. Umbrella Reviews (2020). JBI Manual for Evidence Synthesis. JBI; 2024. Disponível em: https://synthesismanual.jbi.global. https://doi.org/10.46658/JBIMES-24-08. Acesso em: 01 mar 2024.

BRASIL. Lei n. 8080, de 19 de setembro de 1990: Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes. Ministério da Saúde, Brasília, 1990.

BRASIL. Casa civil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 14 mar 2024.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Superior. Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação. Brasília, 2004b. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/e04.pdf>. Acesso em: 20 nov 2023.

BRASIL. Ministério da Saúde. Ministério da Educação. A aderência dos cursos de graduação em enfermagem, medicina e odontologia às diretrizes curriculares nacionais / Ministério da Saúde, Ministério da Educação. - Brasília : Ministério da Saúde, 2006.162 p.: il. - (Série F. Comunicação e Educação em Saúde). Disponível em http://abeno.org.br/arquivos/downloads/download_20111215103241.pdf. Acesso em: 01 abr 2024.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria de consolidação nº 2, de 28 de setembro de 2017. Consolidação das normas sobre as políticas nacionais de saúde do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2 mai. 2023.

CARVALHO, Amanda Cordeiro de Oliveira et al. O planejar docente: relato sobre uso de métodos ativos no ensino de enfermagem. Rev. enferm. UFPE on line, v. 10, n. 4, p. 1332-1338, abr. 2016. Disponível em: <http://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/bde-29700>. Acesso em: 06 mar 2024.

CECCIM, Ricardo Burg; CARVALHO, Yara Maria de. Formação e educação em saúde: aprendizados com a saúde coletiva. In: CAMPOS, Gastão Wagner de S. et al. (Org.). Tratado de saúde coletiva. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

COLUCI, Maria Zambon Orpineli; ALEXANDRE, Neusa Maria Costa; MILANI, Daniela. Construção de instrumentos de medida na área da saúde. Ciênc Saúde Colet[Internet]. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v20n3/1413-8123-csc-20-03-00925.pdf. Acesso em: 06 mar 2024.

FERNANDES, Josicelia Duret et al.; Aderência de Cursos de Graduação em Enfermagem às Diretrizes Curriculares Nacionais na Perspectiva do Sistema único de Saúde. Esc Anna Nery. jan -mar; 17 (1):82 – 892013, 2013. Disponível em https://doi.org/10.1590/S1414-81452013000100012. Acesso em: 06 abr 2024.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43ª ed. São Paulo: Paz e Terra; 2011.

ITO, Elaine Emi. et al. O ensino de enfermagem e as diretrizes curriculares nacionais: utopia x realidade. Rev. Esc. Enferm. USP, São Paulo, v. 40, n. 4, p. 570-5, 2006. Disponível em : https://doi.org/10.1590/S0080-62342006000400017 . Acesso em: 08 fev 2024.

LEFRANÇOIS, Guy. Teorias da aprendizagem: o que o professor disse. 6. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2016.

LOPES, Juliana de Lima. et al. Metodologia da Problematização: estratégia de ensino para aprendizagem do procedimento de terapia intravenosa. Cienc. Cuid. Saude, v. 15, n. 1, p. 187-193, 2016. > Disponível em https://doi.org/10.4025/ciencuidsaude.v15i1.26436. Acesso em: 02 mar 2024.

LUCCHESE, Roselma; VERA, Ivânia; PEREIRA, Wilza Rocha. As políticas públicas de saúde - SUS - como referência para o processo ensino-aprendizagem do enfermeiro. Rev Eletr Enferm [online]. v. 12 n. 3 (2010) . Disponível em: https://doi.org/10.5216/ree.v12i3.11144

MARQUES, Humberto Rodrigues et al. Inovação no ensino: uma revisão sistemática das metodologias ativas de ensino-aprendizagem. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas; Sorocaba, SP, v. 26, n. 3, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-40772021000300005. Acesso em: 15 abr 2024

MISSEYANNI, Anastasia et al. Active learning stories in higher education: lessons learned and good practices in STEM Education. In: MISSEYANNI, A. (ed.). Active learning strategies in higher education: teaching for leadership, innovation, and creativity. Bingley: Emerald Publishing, 2018. p. 75-105. Disponível em: https://doi: 10.1108/978-1-78714-487-320181004. Acesso em: 05 fev 2024.

NAGEL, Monica Ochoa da Silva. et al. Metodologias ativas no ensino-aprendizagem de enfermagem: como e quando utilizar [recurso eletrônico] / organizadoras: Mônica Ochôa da Silva Nagel et al. — Porto Alegre : Ed. da UFCSPA, 2020. Disponível em Modo de acesso: http://www.ufcspa.edu.br/index.php/editora/obras-publicadas. Acesso em: 20 mai 2024.

NEGREIROS, Ana Luiza Barbosa. Concepções e práticas docentes sobre metodologias ativas. Dissertação (mestrado profissional) Universidade Estadual do Piauí, Centro de Ciências da Saúde, Mestrado Profissional em Ensino na Saúde, Fortaleza, 2018. Disponível em https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/envioColeta/detalhesDados/viewTrabalhoConclusao.xhtml?popup=true&idTrabalho=30310326. Acesso em: 22 mar 2024.

OLIVEIRA, Larissa Bertachinni de et al. Effectiveness of teaching strategies on the development of critical thinking in undergraduate nursing students: a meta-analysis. Rev Esc Enferm USP. 2016;50(2):350-359. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420160000200023. Acesso em: 01 fev 2024.

PETERS, Mica et al. Capítulo 11: Revisões do escopo (versão 2020). In: Aromataris E, Munn Z (Editores). JBI Manual for Evidence Synthesis , JBI, 2020. Disponível em https://synthesismanual.jbi.global . https://doi.org/10.46658/JBIMES-20-12. Acesso em: 01 fev 2024

SANTIAGO, Natania Vaz.; NETO, Nilson Berenchtein. As metodologias ativas na formação do profissional de saúde: uma análise crítica à luz do materialismo histórico-dialético. Germinal: Marxismo E educação Em Debate, 15(1), 227–254, 2023. Disponível em https://doi.org/10.9771/gmed.v15i1.52679. Acesso em: 10 mar 2024.

YAMAMOTO, Iara. Metodologias ativas de aprendizagem interferem no desempenho de estudantes. 101 f. Dissertação (Mestrado),Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.Disponível em <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-22092016- 121953/publico/OriginalIara.pdf>. Acesso em: 01 fev 2024.

Published

2024-06-17

How to Cite

Negreiros, A. L. B., Leal, L. B., Figueredo, I. G. de A., Deus, W. F. de, Mendes, P. M., Silva, A. R. V. da, Avelino, F. V. S. D., & Madeira, M. Z. de A. (2024). Efetividade das metodologias ativas de ensino no desenvolvimento do pensamento crítico em estudantes de graduação em enfermagem: uma umbrella review. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e7497 . https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-143

Issue

Section

Articles