Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade e uso de telas: qual a relação?

Authors

  • Soraya Sarmento de Melo
  • Lisandra Karoll Torres Pinheiro Cordeiro
  • Francisca Larissa Silva de Sousa
  • Gabriela Vieira Queiroga
  • Matheus Mendes Dias
  • Matheus da Silva Alves
  • Carlos Vitor Miranda Vieira
  • Marina de Oliveira Gadelha Souza
  • Anne Letícia Gadelha Braga
  • Larissa Vitória Barros Araújo
  • Maria Thalya Camila Silva
  • Sérgio Ednaldo Couto Nunes Filho
  • Nicole Sarmento Queiroga
  • Rafaela Trindade do Ó Caminha
  • Afonso Queiroga Gadelha Neto

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-222

Keywords:

atenção, hiperatividade, relação, telas

Abstract

Introdução: As telas muitas vezes são usadas para acalmar, como ferramenta educacional ou para entretenimento enquanto os cuidadores realizam suas atividades profissionais e domésticas. No entanto, há preocupações expressas por pais e mães sobre os efeitos dessa exposição precoce, levando-os a se sentirem culpados pelo excesso de tecnologia na vida de seus filhos. Objetivo: Mostrar a relação entre o uso de telas e o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Método: Foi realizada uma revisão integrativa da literatura, entre os meses dezembro de 2023 a maio de 2024, utilizando os descritores “Attention Deficit Disorder with Hyperactivity” e “Technology Addiction”, através das bases de dados Scielo, BVS e PubMed. Foram incluídos 10 artigos na presente revisão. Resultados e discussões:  Diversos estudos apontam que tanto o vício na internet (IA) quanto o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) afetam níveis de regulação emocional e o reconhecimento de habilidades emocionais. A regulação emocional, que envolve a consciência, a compreensão e a capacidade de agir objetivamente sem ser dominada pelas emoções, é prejudicada em adolescentes com dificuldades nessa área, levando-os a utilizar a internet de forma compulsiva para evitar ou suprimir emoções negativas. Conclusão: O uso excessivo de telas, especialmente em atividades como videogames e redes sociais, está associado a uma piora nos problemas emocionais e comportamentais. Estratégias de manejo devem incluir a limitação do tempo de tela e a promoção de atividades físicas, além de suporte emocional e educacional para minimizar os impactos negativos e melhorar a qualidade de vida dos jovens com TDAH.

References

BOER, M. et al. Attention Deficit Hyperactivity Disorder-Symptoms, Social Media Use Intensity, and Social Media Use Problems in Adolescents: Investigating Directionality. Child Development, v. 91, n. 4, p. e853–e865, 2020.

CAVALCANTE, L. T. C.; OLIVEIRA, A. A. S. Métodos de revisão bibliográfica nos estudos científicos. Psicologia em Revista, v. 26, n. 1, p. 83-102, 2020.

ENGELHARD, M. M.; KOLLINS, S. H. Os muitos canais de tecnologia de mídia de tela no TDAH: um paradigma para quantificar riscos distintos e benefícios potenciais. Curr Psychiatry Rep, v. 21, p. 90, 2019.

ERCOLE, F.; MELO, L.; ALCOFORADO, C. Integrative review versus systematic review. Universidade Federal de Minas Gerais - Pró-Reitoria de Pesquisa. Reme: Revista Mineira de Enfermagem, [S.L.], v. 18, 2014.

JEONG, H. et al. Low self-control and aggression exert serial mediation between inattention/hyperactivity problems and severity of internet gaming disorder features longitudinally among adolescents. Journal of Behavioral Addictions, v. 9, n. 2, p. 401–409, 2020.

KIM, M. et al. Aberrant structural network of comorbid attention deficit/hyperactivity disorder is associated with addiction severity in internet gaming disorder. NeuroImage: Clinical, v. 27, p. 102263, 2020.

MASKLAVANOU, C.et al. Internet gaming disorder, exercise and attention deficit hyperactivity disorder: The role of symptoms of depression, anxiety and stress. Psychiatrike = Psychiatriki, v. 34, n. 1, p. 13–20, 2023.

MOHER, D. et al. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: The PRISMA statement. PLoS Medicine, v. 6, n. 7, p. 1–6, 2009.

PUCCINELLI, M. F.; MARQUES, F. M.; LOPES, R. de C. S. Telas na Infância: Postagens de Especialistas em Grupos de Cuidadores no Facebook. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 43, e253741, 2023.

SAATIÇIOGLU, H. et al. Investigation of Adolescents Who Have Internet Addiction Accompanied By Attention Deficit and Hyperactivity Disorder in Terms of Emotion Regulation and Social Cognition. İnternet Bağımlılığı ve Eşlik Eden Dikkat Eksikliği Hiperaktivite Bozukluğu Olan Ergenlerin Duygu Düzenleme ve Sosyal Biliş Açısından İncelenmesi. Turk psikiyatri dergisi = Turkish journal of psychiatry, v. 34, n. 1, p. 16–23, 2023.

SHUAI, L. et al. Influences of digital media use on children and adolescents with ADHD during COVID-19 pandemic. Globalization and Health, v. 17, n. 1, p. 48, 2021.

WEINSTEIN, A.; LEJOYEUX, M. Neurobiological mechanisms underlying internet gaming disorder. Dialogues in Clinical Neuroscience, v. 22, n. 2, p. 113–126, 2020.

ZAKARIA, H. et al. Internet addiction and its relationship with attention deficit hyperactivity disorder (ADHD) symptoms, anxiety and stress among university students in Malaysia. PLoS ONE, v. 18, n. 7, e0283862, 2023.

Published

2024-06-19

How to Cite

Melo, S. S. de, Cordeiro, L. K. T. P., Sousa, F. L. S. de, Queiroga, G. V., Dias, M. M., Alves, M. da S., Vieira, C. V. M., Souza, M. de O. G., Braga, A. L. G., Araújo, L. V. B., Silva, M. T. C., Nunes Filho, S. E. C., Queiroga, N. S., Caminha, R. T. do Ó, & Gadelha Neto, A. Q. (2024). Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade e uso de telas: qual a relação?. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e7626. https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-222

Issue

Section

Articles