Testes diagnósticos para COVID-19 e perfil dos indivíduos contaminados na macrorregião sul catarinense

Authors

  • Tamara Bellettini Munari
  • Vanessa Iribarrem Avena Miranda

DOI:

https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-227

Keywords:

COVID-19, SARS-CoV-2, diagnóstico, vigilância

Abstract

A pandemia de Covid-19 acometeu a população do mundo inteiro e esse trabalho tem por objetivo descrever os testes de diagnóstico da Covid - 19 e caracterizar os indivíduos positivados da Região da Macro Sul Catarinense. Como metodologia foi realizado um delineamento transversal com dados secundários, provenientes do sistema e-SUS Notifica, onde foram utilizados os registros dos testes de diagnóstico de Covid-19 aplicados na população da Macrorregião Sul Catarinense. A amostra foi composta por 358.036 indivíduos que realizaram testes de diagnóstico da Covid-19 entre abril de 2020 a abril de 2021. Os resultados apresentaram que dos indivíduos analisados, 38,7% testaram positivo, sendo 40,9% do sexo masculino, idade ≥ a 60 anos (42,2%), pele branca (39,2%) e residentes na região da AMESC (45,9%). Em relação aos testes aplicados 61,3% apresentaram resultado negativo e 38,7% resultado positivo, sendo o teste rápido para detecção de anticorpo o mais utilizado (38,8%). Entre os mais frequentes estão: tosse (36,9%), cefaleia (35,6%), dor de garganta (30,1%), febre (24,9%), coriza (17,5%), dispneia (13,0%), mialgia (10,4%), ageusia (9,6%), anosmia (9,1%) e diarreia (6,7%). Conclui-se que o país necessita ter métodos precisos e estrutura organizacional para detecção e monitoramento da doença, bem como estruturar os serviços de saúde para a reabilitação dos infectados com a Covid-19.

References

ALEGRIA, Beatriz Alves Costa. Vírus de Marburg: epidemiologia, patogenecidade, diagnóstico laboratorial e terapêutica. masterThesis, 2016. Disponível em: <https://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/15323>. Acesso em: 12 junho 2020.

BASTOS, Leonardo Soares et al. COVID-19 e hospitalizações por SRAG no Brasil: uma comparação até a 12ª semana epidemiológica de 2020. Cadernos de Saúde Pública [online]. 2020 v. 36, n. 4. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00070120. Acesso em: 27 de julho de 2020.

BIANCO, M. R. et al. Alteration of Smell and Taste in Asymptomatic and Symptomatic COVID-19 Patients in Sicily, Italy. Ear, Nose & Throat Journal, v. 100, n. 2_suppl, p. 182S-185S, 2021.

BORGES, Lorena Araújo de Oliveira. A natureza da pandemia: uma análise ecolinguística crítica das representações do meio ambiente em textos sobre o coronavírus. Ecolinguística: Revista Brasileira de Ecologia e Linguagem, v. 06, n. 03, p. 11-36, 2020. Disponível em :< file:///D:/Meus%20Documentos/Downloads/34510-Texto%20do%20artigo-85690-1-10-20201001.pdf>. Acesso em 21 de outubro de 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Infecção Humana pelo Novo Coronavírus (2019-nCoV). COVID-19: boletim epidemiológico, Brasília, n. 1, jan. 2020a. Disponível em: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/fevereiro/04/Boletim-epidemiologico-SVS-04fev20.pdf. Acesso em: 06 de abr. 2020.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância epidemiológica : emergência de saúde pública de importância nacional pela doença pelo coronavírus 2019 – covid-19 / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2022. 131 p. Disponível em:< https://www.gov.br/saude/pt-br/coronavirus/publicacoes-tecnicas/guias-e-planos/guia-de-vigilancia-epidemiologica-covid-19>. Acesso em 03 de maio de 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Acurácia dos testes diagnósticos registrados na ANVISA para a COVID-19. Brasília. Mai. 2020b. Disponível em:< http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2020/June/02/AcuraciaDiagnostico-COVID19-atualizacaoC.pdf>. Acesso em: 29 de agosto de 2020.

BRASIL. Portaria Nº 188, de 03 de Fevereiro de 2020. Brasília, DF: Ministério da saúde, 2020c.Disponivel em: http://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-188-de-3-de-fevereiro-de-2020-241408388. Acesso dia 25 de julho de 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Infecção Humana pelo Novo Coronavírus (2019-nCoV). COVID-19: boletim epidemiológico, Brasília, n. 7, abr. 2020d. Disponível em: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/06/2020-04-06-BE7-Boletim-Especial-do-COE-Atualizacao-da-Avaliacao-de-Risco.pdf. Acesso em: 30 de agosto de 2020.

BRATANICH, Ana. MERS-CoV: transmission and the role of new host species. Rev. argent. microbiol., Ciudad Autónoma de Buenos Aires , v. 47, n. 4, p. 279-281, dic. 2015 . Disponível em: <http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0325-75412015000400001&lng=es&nrm=iso>. Acesso em: 13 junho de 2020.

BONITA, R. Epidemiologia básica / R. Bonita, R. Beaglehole, T. Kjellström; - 2.ed. - São Paulo, Santos. 2010 213p. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/43541/9788572888394_por.pdf?sequence=5&isAllowed=y. Acesso em 10 de dezembro de 2020.

CÂMARA, Fernando Portela. NEUROINFECÇÕES E PSIQUIATRIA. Revista Debates em Psiquiatria. Rio de Janeiro, n. 4, p. 38-44, jul/ago 2012. Disponível em: < https://www.researchgate.net/profile/Cesar_Weber/publication/315459025_Doenca_Mental_e_Cultura_uma_perspectiva_antropologica/links/58e292a5a6fdcc385931e712/Doenca-Mental-e-Cultura-uma-perspectiva-antropologica.pdf>. Acesso em 12 de junho de 2020.

CBVE. Curso Básico de vigilância epidemiológica/Diretoria de vigilância epidemiológica, Fundação de Amparo à pesquisa e Extensão Universitária. – Florianópolis, SC: FAPEU, 2018. 168p.

CESPEDES, Mateus da Silveira; SOUZA, José Carlos. SARS-CoV-2: uma revisão para o clínico. 2020. Disponível em:< file:///D:/Meus%20Documentos/Downloads/26-Preprint%20Text-35-1-10-20200411%20(3).pdf>. Acesso em 29 de julho de 2020.

CHEN, Jieliang. Pathogenicity and transmissibility of 2019-nCoV—A quick overview and comparison with other emerging viruses. Microbes and Infection, v. 22, n. 2, p. 69–71, 2020. Disponível em: <https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S1286457920300265>. Acesso em: 13 junho 2020.

DIAS, Viviane Maria de Carvalho Hessel et al. Testes sorológicos para COVID-19: Interpretação e aplicações práticas. Journal of infection control. v. 9, n. 2, pág. 47-58. abr/jun 2020. Disponível em:. Acesso em 26 de novembro de 2020.

ESTEVES, Maria Angela Pires. Monitoramento da gripe aviária no Brasil:

proposta para desenvolvimento de sig web. 2007. projeto (curso de

especialização em informação científica e tecnológica em saúde) –Fundação

Oswaldo Cruz - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em

Saúde, Rio de Janeiro, 2007. Disponível em:

https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/2935/2/projeto_mariaangela-2007.pdf.

acesso em: 12 jun. 2020.

FAUCI, A. S.; Lane, H. C.; Redfield, R. R. Covid-19 — Navigating the Uncharted. New England Journal of Medicine. v.382, n.13, p.1268–1269, 2020 Disponível em:< https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMe2002387?articleTools=true>. Acesso em 26 de outubro de 2020.

FORATTINI, Oswaldo Paulo. AIDS e sua origem. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 27, n. 3, p. 153-156, Junho 1993 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89101993000300001&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 10 de dezembro de 2020.

GALBADAGE, T. et al. Systematic Review and Meta-Analysis of Sex-Specific COVID-19 Clinical Outcomes. Frontiers in Medicine, v. 7, p. 348, 23 jun. 2020.

GEBHARD, C. et al. Impact of sex and gender on COVID-19 outcomes in Europe. Biology of Sex Differences, v. 11, n. 1, p. 29, 2020.

GADI, N. et al. What’s Sex Got to Do With COVID-19? Gender-Based Differences in the Host Immune Response to Coronaviruses. Frontiers in Immunology, v. 11, p. 2147, 28 ago. 2020.

GEHA, Y. F. et al. Análise epidemiológica comparativa entre as pandemias causadas pelos vírus Influenza A(H1N1)pdm09 e SARS-CoV-2 no estado do Pará, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 12, n. 0, 2021.

GOMES, D. R. et al. Interiorização da COVID-19 no Oeste da Bahia: perfil epidemiológico e análise espacial dos óbitos e casos confirmados. Ciência & Saúde Coletiva, v. 26, n. 10, p. 4665–4680, 2021.

GRASSELLI, Giacomo; GRECO, Massimiliano; ZANELLA, Alberto; et al. Risk Factors Associated With Mortality Among Patients With COVID-19 in Intensive Care Units in Lombardy, Italy. JAMA Internal Medicine, v. 180, n. 10, p. 1345, 2020. Disponível em: <https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/fullarticle/2768601>. Acesso em: 21 novembro 2020.

GARCIA, Leila Posenato; Duarte, Elisete. Intervenções não farmacológicas para o enfrentamento à epidemia da COVID-19 no Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 29, n. 2, 2020 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222020000200100&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 19 de agosto de 2020.

HALLAL, P. C. et al. Evolução da prevalência de infecção por COVID-19 no Rio Grande do Sul, Brasil: inquéritos sorológicos seriados. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, n. suppl 1, p. 2395–2401, 2020.

ISER, Betine Pinto Moehlecke et al . Definição de caso suspeito da COVID-19: uma revisão narrativa dos sinais e sintomas mais frequentes entre os casos confirmados. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília , v. 29, n. 3, 2020 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222020000300401&lng=en&nrm=iso>. Acessado em 30 de agosto de 2020

LIMA, F. E. T. et al. Intervalo de tempo decorrido entre o início dos sintomas e a realização do exame para COVID-19 nas capitais brasileiras, agosto de 2020*. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 30, n. 1, p. e2020788, 2021.

LOYOLA, M. A. Covid-19: uma agenda de pesquisa em torno das questões de gênero. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 30, n. 3, p. e300312, 2020.

LIPSITCH, Marc et al. Defining the Epidemiology of Covid-19 - Studies Needed. The New England Journal of Medicine. Waltham, v. 382, n. 13, p. 1194-1196, 2020.(https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/37953/1/PREPRINT_Covid19ProtecaoSaude.pdf). Acessado em 26 de julho de 2020.

NOGUEIRA, J. M. DA R.; SILVA, L. O. P. DA. Diagnóstico laboratorial da COVID-19 no Brasil. Revista Brasileira de Análises Clínicas, v. 52, n. 2, 2020.

OLIVEIRA, W. K. DE et al. Como o Brasil pode deter a COVID-19. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 29, n. 0, 2020.

OPAS – Organização Pan Americana da Saúde. Desfechos de saúde e COVID-19 nas Américas: diferenças de sexo Janeiro de 2020 a janeiro de 2021. Washington (DC), 2021. Disponível em:< https://iris.paho.org/handle/10665.2/53602> Acesso em 25 de julho de 2022.

OPAS. Organização Pan Americana de Saúde. Folha informativa COVID-19 - Escritório da OPAS e da OMS no Brasil. Disponível em:< https://www.paho.org/pt/covid19>. Acesso em 07 de novembro de 2020.

PILECCO, F. B. et al. O efeito da testagem laboratorial nos indicadores de acompanhamento da COVID-19: uma análise dos 50 países com maior número de casos. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 30, n. 2, p. e2020722, 2021.

PENNESI, Rodrigo. Pandemias no antropoceno. Revista estudos libertários (rel), UFRJ, [online] vol. 2. n. 3; ed. especial nº2] 2020. Disponível em: < file:///D:/Meus%20Documentos/Downloads/34535-91373-1-PB.pdf>. Acesso dia 14 de junho de 2020.

REZENDE, Joffre Marcondes de. Epidemia, Endemia, Pandemia. Epidemiologia. Revista de patologia tropical. 1998. Vol. 27, p. 153-155. Disponível em:<https://www.revistas.ufg.br/iptsp/article/view/17199/10371> Acesso em 20 de outubro de 2020.

ROCHA, Marina Elias. BRASILEIRO, Marislei Espíndula. MARTINS, Bruno César Teodoro. VIEIRA, Lorena Tassara Quirino. Atuação multiprofissional frente a epidemia de Ebola. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 1, p.900-915, jan. 2020. Disponível em: file:///D:/Meus%20Documentos/Downloads/5925-15810-1-PB.pdf. Acesso em: 13 jun. 2020.

SUDRE, C. H. et al. Anosmia, ageusia, and other COVID-19-like symptoms in association with a positive SARS-CoV-2 test, across six national digital surveillance platforms: an observational study. The Lancet Digital Health, v. 3, n. 9, p. e577–e586, 2021.

SESSP. Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo. Características dos casos notificados de Influenza A/H1N1. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 43, n. 5, p. 900-904, Out. 2009 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102009000500024&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 14 Junho de 2020.

TEIXEIRA, Maria Glória et al . Vigilância em Saúde no SUS - construção, efeitos e perspectivas. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 23, n. 6, p. 1811-1818, 2018 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232018000601811&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 26 de outubro de 2020.

TOZATO, C. et al. Cardiopulmonary rehabilitation in post-COVID-19 patients: case series. Critical Care Science, v. 33, n. 1, 2021.

TURCI, Maria Aparecida.; HOLLIDAY, Julia Braga.; OLIVEIRA, Nerice Cristina Ventura Costa de. A Vigilância Epidemiológica diante do Sars-Cov-2: desafios para o SUS e a Atenção Primária à Saúde. APS em Revista. Vol. 2, n. 1, p. 44-55, 2020. Disponível em:< https://aps.emnuvens.com.br/aps/article/view/70/48>. Acesso em 26 de outubro de 2020.

UFRRJ; SANTOS, M. DE O. Reescrevendo a história: imigrantes italianos, colonos alemães, portugueses e a população brasileira no sul do Brasil. Revista Tempo e Argumento, v. 09, n. 20, p. 230–246, 31 maio 2017.

VAHEY, G. M. et al. Symptom Profiles and Progression in Hospitalized and Nonhospitalized Patients with Coronavirus Disease, Colorado, USA, 2020. Emerging Infectious Diseases, v. 27, n. 2, p. 385–395, 2021.

VIEIRA, Luisane Maria Falci; EMERY, Eduardo; ANDRIOLO, Adagmar. COVID-19 - Diagnóstico Laboratorial para Clínicos. 2020. Disponivel:< file:///D:/Meus%20Documentos/Downloads/411-Preprint%20Text-512-1-10-20200509%20(3).pdf>. Acesso em 13 de janeiro de 2020.

VELLOSO, Marta Pimenta. Os restos na história: percepções sobre resíduos. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2008, vol.13, n.6, p.1953-1964. Disponível em:< https://www.scielo.br/pdf/csc/v13n6/a31v13n6.pdf>. Acesso em 13 de junho de 2020.

YÜCE, M.; FILIZTEKIN, E.; ÖZKAYA, K. G. COVID-19 diagnosis —A review of current methods. Biosensors and Bioelectronics, v. 172, p. 112752, 2021.

World Health Organization - WHO. Pneumonia of unkow cause CHINA. WHO, Geneva, 05 de jan. 2020. Disponível em: https://www.who.int/csr/don/05-january-2020-pneumonia-of-unkown-cause-china/en/. Acesso em: 06 de abr. 2020.

ZHENG, D.; ANDONIAN, D.; WOJCIK, S. Identifying possible surrogate markers of COVID19 as a supplement to diagnostic testing in Upstate New York. The American Journal of Emergency Medicine, v. 50, p. 625–630, 2021.

Published

2024-06-19

How to Cite

Munari, T. B., & Miranda, V. I. A. (2024). Testes diagnósticos para COVID-19 e perfil dos indivíduos contaminados na macrorregião sul catarinense. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, 17(6), e7634. https://doi.org/10.55905/revconv.17n.6-227

Issue

Section

Articles